Desordem do espectro alcoólico fetal atingi um bebê em cada 13 mães alcoólatras

Uma em cada 13 gestantes que bebem álcool tem filho com o distúrbio...

Créditos desta matéria: O Globo 

Uma pesquisa canadense indica que uma em cada 13 grávidas que consumem álcool durante a gestação tem filhos com alguma desordem do espectro alcoólico fetal. Tal distúrbio envolve uma série de problemas para os bebês, incluindo:

  • microcefalia, 
  • déficit intelectual e de crescimento, 
  • baixo peso ao nascer e 
  • perda de visão ou audição.

Leia também: Prevenção de doenças genéticas nos filhos: a difícil escolha dos pais

Desordem do espectro alcoólico fetal

O estudo foi realizado pelo Instituto de Pesquisa em Políticas de Saúde Mental, na cidade de Toronto, no Canadá, e publicado na edição atual da prestigiada revista científica "JAMA Pediatrics".

Uma vez que os efeitos do consumo de álcool durante a gravidez têm, em geral, implicações para toda a vida da criança, o custo disso para a saúde pública é alto.

Leia também: Autismo pode ser causado por desequilíbrio hormonal na gravidez, diz pesquisa

O estudo, liderado pela cientista sênior do instituto canadense, Svetlana Popova, consiste em uma meta-análise de 24 pesquisas científicas envolvendo 1.416 crianças e jovens diagnosticados com a desordem.



Essa revisão concluiu que uma em cada 13 mulheres que consumiram bebida alcoólica durante a gestação teve filhos com a desordem do espectro alcoólico fetal.

Continue lendo a matéria no site do O Globo.

Renata Fraia - farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos blogs Saúde da Mulher e Saúde com Ciência
Conteúdo do Saúde da Mulher é informativo/educativo. Não exclui consulta com profissional de saúde. Este artigo pertence ao Saúde da Mulher. Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.

Mais posts...

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada