Alteração no ciclo menstrual pode indicar Síndrome dos ovários policísticos

Alterações no ciclo menstrual podem ser indicativos da Síndrome dos ovários policísticos (SOP)

A síndrome dos ovários policísticos é um distúrbio endócrino caracterizado por alterações hormonais e funcionais dos ovários que, via de regra, apresentam múltiplos e pequenos cistos. De acordo com o Ministério da Saúde, estima-se que 20% a 30% das mulheres desenvolvem a SOP no país.

Alteração no ciclo menstrual pode indicar Síndrome dos ovários policísticos
Alteração no ciclo menstrual pode indicar Síndrome dos ovários policísticos

"As portadoras da síndrome costumam apresentar irregularidade menstrual, ciclos anovulatórios, infertilidade, maior produção de hormônios androgênicos, favorecendo o aparecimento de pelos e acne, aumento de gordura abdominal e maior risco de desenvolver obesidade, diabetes, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e alguns cânceres", explica a Dra. Sônia Tamanaha, ginecologista e professora da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Apesar do desenvolvimento do distúrbio ocorrer durante toda a vida, o período em que a SOP mais acomete as mulheres é a idade reprodutiva. Geralmente, as primeiras manifestações começam ainda na adolescência - após 2 anos da primeira menstruação - com persistência de atrasos ou ausência dos ciclos menstruais, estendendo-se até o início do período da transição para a menopausa. Cerca de 6 a 10% da população feminina entre 18 e 45 anos apresentam a disfunção.

"Por outro lado, é importante destacar que são mulheres jovens que têm a possibilidade de adotar mudanças no seu estilo de vida, receber intervenções terapêuticas efetivas e minimizar as possíveis repercussões negativas - se diagnóstico e tratamento forem realizados precocemente", afirma a Dra. Sônia.

>> Leia também: Menstruar ou não menstruar.

A detecção dessa síndrome é feita por meio de um conjunto de critérios clínicos, laboratoriais e ultrassonográficos - que podem revelar os múltiplos cistos ovarianos.

Segundo a professora, o tratamento é direcionado às necessidades particulares de cada mulher, dependendo do desejo ou não de engravidar e na prevenção de futuras complicações em virtude da frequente associação com outras doenças.

"Nesse sentido, a orientação nutricional e estímulo à atividade física são as primeiras recomendações - especialmente para aquelas com excesso de peso. Além disso, podem ser necessárias orientações cosméticas, incluindo depilação a laser, medicações para normalizar a função menstrual, controlar o hiperandrogenismo, associação de tratamentos clínicos e da infertilidade", finaliza a Dra. Sônia.

Fonte: Dra. Sônia Tamanaha - Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

>> Leia mais sobre MENSTRUAÇÃO.
Conteúdo do Saúde da Mulher é informativo/educativo. Não exclui consulta com profissional de saúde. Este artigo pertence ao Saúde da Mulher. Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem-vindo.

Não indicamos medicamentos, pois apenas um médico, dentista e farmacêutico são autorizados a prescrever prescrever medicamentos e, ainda sim, em um local físico de trabalho.

Fornecemos aconselhamento/assistência farmacêutica.

Infelizmente, não conseguimos responder a todas as perguntas, mas muitas são respondidas pelos próprios internautas que veem as perguntas e as respondem.

ATENÇÃO!
Respostas que não foram escritas pelo Saúde da Mulher NÃO são de responsabilidade do Blog.

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada