Obesidade na gravidez. Riscos de engordar na gravidez

Será que a obesidade na gravidez pode prejudicar a gestação? As mamães devem ficar atentas à dieta?


Obesidade na gravidez. Riscos de engordar na gravidez
Obesidade na gravidez. Riscos de engordar na gravidez


Ao engravidar, inicia-se no organismo da mulher várias transformações, para que se torne um ambiente seguro para o desenvolvimento do bebê.

Para isso, as futuras mamães devem ter cuidado redobrado, principalmente com sua alimentação, afinal, a obesidade na gravidez é um problema comum e que pode ser perigoso.

O Dr. Renato de Oliveira - ginecologista da Criogênesis - nos presenteou com algumas dicas para as mulheres terem uma gravidez mais saudável sem engordar demais. As dicas são complementadas com informações da farmacêutica Renata Fraia.

Fome psicológica


Sabemos que a fome não é apenas uma necessidade fisiológica, afirma o médico, ela pode estar associada, principalmente neste período tão ansioso na vida de qualquer mulher, a alterações psicológicas e emocionais, como ansiedade e fragilidade, que podem levar à compulsão alimentar.

Então, a nossa dica aqui do Saúde da Mulher é que a gestante encontre prazer em outras atividades, além de saborear coisas apetitosas e engordativas. Meditar e fazer exercícios de respiração também ajudam a controlar a ansiedade e, assim, o apetite.


Quantas calorias a gestante deve ingerir para evitar a obesidade na gravidez?


O médico explica que, a partir do terceiro mês de gestação, a mulher deve ingerir apenas 300 calorias a mais do que o normal, totalizando assim, 2.800 calorias por dia*.

“Ganhar peso excessivo no período gestacional ou, até mesmo, iniciar a gestação com sobrepeso, são fatores de risco que podem gerar complicações como diabetes e doenças hipertensivas específicas da gestação, como a pré-eclâmpsia hipertensão e pré-eclâmpsia”, alerta o especialista.

* Nota: este valor pode variar de mulher para mulher.

Mulher grávida deve comer por dois?


O ditado popular “mulher grávida deve comer por dois” é válido? O Dr. Renato diz que é importante ter em mente que isso é um mito, sendo que o fato de estar carregando uma vida dentro de si não quer dizer que a grávida possa abusar da sua alimentação diária.

Aliás, o peso é algo com que a gestante e o seu médico precisam sempre estar atentos. A recomendação é que as gestantes ganhem, ao longo de toda gestação, e dependendo da massa corporal inicial e da altura, uma média de 12 kg. Pode-se considerar como ideal, um ganho médio de 300 a 400 gramas por semana.

Além dos problemas com a saúde da mamãe, a obesidade na gravidez pode gerar bebês mais pesados, com macrossomia fetal, ou seja, a condição em que o recém-nascido apresenta mais de 4 quilos, e com possibilidades de desenvolver hipoglicemia ao nascer.

E os desejos das grávidas por algumas comidas específicas ou "estranhas"?


A farmacêutica Renata Fraia diz que sempre gosta de lembrar que o intenso desejo na gravidez por alimentos específicos é um sinal do organismo da mamãe dizendo que o corpo precisa de mais de um ou outro nutriente.

Por isso, fique atenta, o desejo por limão, por exemplo, pode ser sinal de que seu estômago está com baixa acidez (o que pode prejudicar a digestão, ou ainda que signifique que seu organismo precise de vitamina C.

Além disso, sempre que sentir um desejo (do tipo insuportável) por algum alimento, procure saber quais nutrientes (vitaminas, minerais, aminoácidos, etc.) que está presente neste ingrediente, para que, mesmo que no momento você não possa agradar seu paladar, talvez possa se alimentar com algo com valor nutricional semelhante.

E não se esqueça: alguns tipos de desejos alimentares também podem ser por pura ansiedade, sobretudo se der uma inexplicável e repentina vontade de comer chocolates e doces gordurosos, que não fazem nada bem. Mais uma diquinha: se quiser comer chocolate que seja um bombom ou um "quadradinho" de chocolate meio amargo.


Agora as dicas citadas para evitar a obesidade na gravidez


Hidrate-se


Beba água constantemente. Cerca de 1,5 a 2 litros por dia;

Consuma vegetais


Consuma frutas, legumes e verduras, sempre bem lavados e de boa procedência, mas lembre-se de que as frutas costumam ser ricas em açúcar (frutose). A saúde da mamãe e do bebê agradecem e você ainda previne a obesidade na gestação;

Evite alimentos gordurosos


Consuma alimentos com baixo teor de gordura e evite ingerir líquidos durante as refeições, para facilitar a digestão e evitar azia tão comum na gravidez;

Coma mais vezes durante o dia


Faça várias refeições ao longo do dia, aproximadamente seis a oito vezes ao longo do dia, com pequenas quantidades, e sempre mastigando devagar;


Consuma carne


A carne é muito importante nesse período, por ser rica em ferro e em proteínas importantes para a saúde da mamãe e para o corpo do bebê. O ferro das verduras verdes escuras e do feijão, por sua vez, pode ser melhor absorvido se consumido com frutas ricas em vitamina C, como laranja, limão, acerola, caju, goiaba, tangerina e abacaxi. Mas para não engordar, não coma carne em demasia e prefira as carnes magras e sempre cozidas hein mamãe!


Esperamos que tenham gostado das dicas, mamães. Continue se informando lendo o artigo: Tratamentos Estéticos na gravidez. O que pode e o que não pode fazer?, mas se ainda estiver pensando em engravidar leia este post: Abacate aumenta a fertilidade.

Conteúdo do Saúde da Mulher é informativo/educativo. Não exclui consulta com profissional de saúde. Este artigo pertence ao Saúde da Mulher. Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.

Mais posts...

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada