Congelamento do tecido ovariano ajuda mulheres com câncer a engravidar

Nova técnica que preserva fertilidade por meio de congelamento do tecido ovariano deve ajudar mulheres com câncer

Procedimento é alternativa às pacientes que não possuem tempo hábil para congelar óvulos ou embriões ou que não podem fazer estimulação hormonal.

A medicina reprodutiva evolui a cada dia e uma técnica recentemente aplicada em outros lugares do mundo, em benefício de pacientes com câncer, chegou ao Brasil. O congelamento do tecido ovariano é uma possibilidade para preservação da fertilidade de mulheres que passarão por tratamentos oncológicos – que podem deixá-las inférteis. Essa é uma das opções que estas pacientes têm para manter o sonho da maternidade depois de vencer a doença.

O novo procedimento, congelar tecido ovariano, é uma alternativa às pacientes que não possuem tempo hábil para congelar óvulos ou embriões após o diagnóstico do câncer, ou que receberam contraindicações para receber estimulação ovariana com hormônios. “A técnica é muito recente, e seus resultados são bastante promissores. Mais de 60 bebês já nasceram através do reimplante de tecido ovariano em diversos locais do mundo”, explica o Dr. Maurício Chehin, especialista em reprodução assistida do Grupo Huntington.


Congelamento do tecido ovariano deve ajudar mulheres com câncer a engravidar
Congelamento do tecido ovariano 

“O Grupo Huntington é pioneiro e já realizou procedimentos de congelamento de tecido ovariano com sucesso”, conta o Dr. Chehin. 

A avaliação de cada caso é realizada individualmente, sempre respeitando todas as orientações do oncologista responsável, com o objetivo de sucesso no tratamento oncológico e a possibilidade de preservar a fertilidade futura.

As técnicas de congelamento de embriões e de óvulos, que já são estabelecidas há mais de uma década, não são possíveis em alguns casos. “Alguns cânceres não permitem que se realize a estimulação ovariana, necessária para os outros procedimentos. A criopreservação de tecido ovariano é uma inovação que é a única chance de uma gestação no futuro a estas mulheres”, explica o especialista.


► Leia também: 30% das mulheres que fazem fertilização tem mais de 40 anos.

Como é o congelamento de tecido ovariano?


A técnica tem início com um procedimento cirúrgico, feito por meio de uma videolaparoscopia (com visualização através de microcâmeras). Uma parte, ou, a depender do caso, todo o ovário, é retirado, sendo submetido posteriormente ao processo de preparo e congelamento do tecido em nitrogênio líquido, a uma temperatura de -196º C. Depois de congelado, podem permanecer assim por tempo indeterminado.

“Para o procedimento, a paciente fica internada de um a dois dias, o que é bastante rápido e não interfere no início do tratamento contra o câncer, que é prioritário sempre”, explica o Dr. Maurício.

Após a liberação do oncologista para uma gravidez, realiza-se outra videolaparoscopia, esta para reimplante do tecido armazenado. Caso obtenha sucesso, este procedimento pode proporcionar uma gestação natural, induzida por hormônios, ou, na impossibilidade, por meio da técnica de Fertilização in Vitro (FIV).

Fonte: Huntington Medicina Reprodutiva - Os principais tratamentos utilizados atualmente são: Inseminação Artificial, Fertilização in Vitro, além de técnicas de reversão de vasectomia e de laqueadura, entre outras.
Conteúdo do Saúde da Mulher é informativo/educativo. Não exclui consulta com profissional de saúde. Este artigo pertence ao Saúde da Mulher. Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem-vindo.

Não indicamos medicamentos, pois apenas um médico, dentista e farmacêutico são autorizados a prescrever prescrever medicamentos e, ainda sim, em um local físico de trabalho.

Fornecemos aconselhamento/assistência farmacêutica.

Infelizmente, não conseguimos responder a todas as perguntas, mas muitas são respondidas pelos próprios internautas que veem as perguntas e as respondem.

ATENÇÃO!
Respostas que não foram escritas pelo Saúde da Mulher NÃO são de responsabilidade do Blog.

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada