Lipoaspiraçao - tipos

Quando a lipoaspiração surgiu, existia apenas uma modalidade da cirurgia e todos sabiam qual era sua finalidade: eliminar a gordura indesejada, aquela que não desaparece com exercícios nem dietas.
Hoje em dia existem opções, como hidrolipo, vibrolipo, lipo a laser, minilipo e lipoescultura, entre outras. As técnicas se refinaram, abrindo um leque de possibilidades bem maior ao paciente.

O objetivo continua o mesmo, e os resultados também. A diferença está nas possibilidades de se alcançar isso. Por exemplo, se o paciente quer retirar a gordura da parte anterior do braço, aquela que balança na hora de dar tchau, basta fazer uma lipo a laser.
  • lipo a laser
Essa técnica é indicada para pequenos procedimentos, porque o laser é lento ao quebrar as células de gordura. Contudo, ele gera um trauma menor ao paciente.
  • vibrolipo é indicada para quem já passou por outras lipoaspirações.
  • minilipo, uma lipoaspiração dividida em partes. A vantagem é que alguns médicos a fazem no próprio consultório, apenas com anestesia local. O procedimento também é indicado quando o paciente tem gordura localizada em pequenas áreas.
Veja alguns dos principais procedimentos:

Renata Fraia - Farmacêutica
Leia Mais ►

30% das mulheres que fazem fertilização tem mais de 40 anos

É simples engravidar depois dos 40 anos? Por enquanto, parece que não! :-(

Um levantamento realizado pelo site da revista VEJA mostrou que 30% das mulheres que recorrem ao tratamento de fertilização já chegaram aos 40 anos.

30% das mulheres que fazem fertilização tem mais de 40 anos
30% das mulheres que fazem fertilização tem mais de 40 anos

O relógio biológico feminino anda a uma velocidade bem maior do que se imagina. A chance de gravidez natural antes do 30 anos, no auge da juventude, é de 30% - com ajuda da medicina é de 60%.

Leia também: Infertilidade feminina pode se originar na adolescência.

Aos 40 anos, a chance natural é de 10% e, com tratamento, de no máximo 20%. Agora outra comparação: mulheres com menos de 30 anos representam apenas 10% das pacientes que recorrem às clínicas de fertilização. As de 40, 27%.

As mulheres de 40 anos devem ainda considerar uma outra questão: o envelhecimento natural do organismo aumenta os riscos de alterações cromossômicas, responsáveis por síndromes genéticas, como o Down.

"Em pacientes de 30 anos, o risco do bebê nascer com a síndrome de down é de 1 a cada 900. Aos 40 anos, esse risco é de 1 a cada 100.";

Afirma o médico Edson Borges, diretor clínico do Centro de Fertilização Assistida Fertility, em São Paulo.

Leia também: Abacate aumenta a fertilidade.

Fonte: Revista Veja

Leia Mais ►

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada