Infertilidade feminina pode se originar na adolescência

Descuidos da adolescência podem levar a infertilidade feminina.





Um especialista no assunto, o dr. Assumpto Iaconelli Junior, dá três conselhos importantes para quem está começando a vida sexual.


Infertilidade feminina pode se originar na adolescência
Infertilidade feminina pode se originar na adolescência


Dicas para evitar a infertilidade já na adolescência


1. Fazer visitas regulares ao ginecologista. 


“Muitos pais são bastante regulares em relação às visitas ao pediatra. Entretanto, assim que a criança entra na fase pré-adolescente, abandonam esse costume. Esse é um erro muito comum e que deve ser evitado. Os pais tanto podem levar seus filhos ao hebiatra (que atende crianças de zero a 18 anos), como escolher um ginecologista de sua confiança para levar as meninas assim que entram na puberdade ou mesmo antes. Esse acompanhamento da saúde sexual feminina é fundamental”.

>> Leia tambémClamídia pode causar infertilidade.


2. Usar preservativo também nas preliminares.


“Há sempre aquela adolescente que teme contrair uma DST, mas acha que esse tipo de doença só é transmitido mediante relação sexual consumada. Mas, mesmo nas preliminares, durante sexo oral ou anal, o risco de contrair doenças é iminente. Portanto, é fundamental usar preservativo também nessas circunstâncias. Vale lembrar que o uso de ‘camisinha’ não é responsabilidade apenas do parceiro. Sendo assim, tenha sempre preservativos masculinos e femininos na bolsa”.




3. Jamais fazer ‘vista grossa’ a um corrimento.


“Apesar de nem todo tipo de corrimento vaginal ser motivo de preocupação por estar associado a um diagnóstico de clamídia ou outra doença sexualmente transmissível, é importante consultar um ginecologista se o problema persistir por mais de uma semana, apresentar coloração acentuada, ou mesmo se exalar forte odor”.

>> Leia também: INFERTILIDADE - Causas de infertilidade e o que é infertilidade.


Fonte: Dr. Assumpto Iaconelli Junior, médico ginecologista, especialista em Medicina Reprodutiva e Fertilização Assistida, diretor do Fertility Medical Group – www.fertility.com.br


Leia Mais ►

Dicas para manter a região íntima feminina saudável


A região íntima feminina necessita de cuidados especiais porque é uma área de mucosa que permanece a maior parte do tempo abafada por calças, ou seja, não há ventilação.

A umidade do local e o pH vaginal favorecem o aparecimento de fungos como a Cândida albicans que causa problemas como candidíase e vaginite.




Mas alguns cuidados podem manter a região íntima da mulher saudável, como fazer uma boa higiene da região genital da mulher.

DICAS PARA MANTER A REGIÃO ÍNTIMA FEMININA SAUDÁVEL


Dicas para manter a região íntima feminina saudável
Dicas para manter a região íntima feminina saudável


  1. Use sabonetes com pH ácido (entre 3,5 e 5), que são os sabonetes líquidos específicos para a região íntima feminina, os sabonetes íntimos femininos. Eles deixarão a região íntima feminina com o pH adequado, entre 4 e 4,5.
  2. Não abafe a região, pois isso promove o desenvolvimento de fungos o que pode causar vaginite, por exemplo.
  3. Evite usar os protetores diários de calcinha (mini-absorventes) e roupas apertadas. Invista em lingeries de algodão para usar no dia a dia.
  4. Lave a calcinha com sabonete próprio. Os convencionais e os detergentes em pó ou líquidos podem causar irritações e/ou alergias no seu corpo.
  5. Na praia ou piscina, não fique com o biquíni molhado. Troque-o se não for mais mergulhar já que o ambiente úmido e quente favorece a proliferação de fungos e bactérias.
  6. Não depile os pelos pubianos da região íntima. Eles protegem a região íntima feminina, então evite apará-los totalmente.
  7. Troque os absorventes (externo ou interno), no máximo, a cada quatro horas. Após esse período o absorvente torna-se um irritante e ambiente propício ao desenvolvimento de bactérias e fungos.

Fonte: Dra. Renata Fraia - Farmacêutica
Leia Mais ►

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada