Tratamentos Estéticos na gravidez. O que pode e o que não pode fazer

Todo cuidado nesta fase é pouco, por isso as futuras mães precisam estar atentas ao que é permitido ou proibido na gestação.

A gestação é um período de ebulição de hormônios que transforma completamente o comportamento do organismo e altera principalmente a pele, por conta da fragilidade das células e da retenção de líquido, comum neste período. Além da alimentação diferenciada, da hidratação da pele e drenagens linfáticas que diminuem e até previnem estes sintomas, os tratamentos estéticos são uma alternativa para as mulheres que querem manter a boa forma.

Segundo a fisioterapeuta e dermatofuncional da Ibramed, Aline Stringhetta, antes de fazer qualquer tratamento é preciso cautela.






"É sempre indicado conversar com o médico antes de iniciar qualquer tratamento. Assim como existem tratamentos contraindicados, há aqueles que não prejudicam a gestação e favorecem o bem-estar da mãe, auxiliando na diminuição do inchaço e manchas", explica.

O uso de equipamentos e tratamentos estéticos na gravidez geram inúmeras dúvidas, principalmente pelos mitos durante a gestação. Para ajudar as futuras mamães, ela fez uma lista de contraindicações e tratamentos que ajudam a mulher cuidar do corpo durante a gestação.

Tratamentos Estéticos na gravidez



Tratamentos Estéticos na gravidez. O que pode e o que não pode fazer
Tratamentos Estéticos na gravidez. O que pode e o que não pode fazer


Peeling, alguns tipos são liberados

Na gestação aparecem inúmeras manchas, principalmente após a exposição ao sol. Existem peelings que não são agressivos à pele, que não descamam ou causam inflamações, apenas fornecendo uma limpeza profunda das células mortas que causam inchaço, manchas e acne, como é o caso do peeling ultrassônico. A tecnologia consiste em uma espátula que, ao entrar em contato com a pele, emite uma vibração, que é bem confortável para a paciente e indicado para a pele sensível das gestantes.


Leia também: Fertilização in vitro após os 50 anos, agora pode!


Procedimentos no abdômen, pode?

NÃO! Nenhum equipamento deve ser utilizado nesta área. Os tratamentos estéticos não podem ser realizados na área do abdômen, pois são prejudiciais ao bebê. Um tratamento indicado para a área é a utilização de cremes hidratantes desde que prescritos pelo médico.


Radiofrequência e ultrassom, fique longe!

Não podem ser realizados em nenhuma gestante, independente do lugar da aplicação. Na gravidez, é prejudicial expor a gestante à radiofrequência e tratamentos estéticos de ultrassom. Por segurança, no caso da radiofrequência, é preciso ficar a uma distância mínima de 10 metros de quem estiver aplicando.






Fotodepilação, melhor evitar!

Não existe nenhum estudo que mostre que o equipamento é ou não prejudicial ao bebe. "Por este motivo, é melhor evitar, até que a ciência tenha mais indícios da segurança do procedimento para gestantes", explica a dermatofuncional.


Leia também: Infertilidade feminina pode se originar na adolescência.


Carboxiterapia, necessita autorização médica

Pode ser feito, entretanto, é necessário que a gestante converse com o seu médico. O equipamento não tem uma contraindicação, pois o gás utilizado é o mesmo encontrado no corpo. Porém, como se trata de uma terapia minimamente invasiva, é importante ter a autorização do médico.

Endermoterapia, está liberado

As gestantes podem fazer a endermoterapia nas pernas e braços. É uma massagem mecânica na pele através de roletes, feita com movimentos lentos e que promovem a mobilização dos líquidos parados, descongestionando, desintoxicando e drenando o tecido.

Fonte: Ibramed


Conteúdo do Saúde da Mulher é informativo/educativo. Não exclui consulta com profissional de saúde. Este artigo pertence ao Saúde da Mulher. Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.

Mais posts...

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada