• Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher

Cérebro feminino pode sofrer alteração com uso de drogas ilícitas

Drogas ilícitas alteram o cérebro feminino, mas o masculino não.

Um estudo recente revelou que mulheres que abusam do uso de drogas ilícitas estão sujeitas a sofrer alterações cerebrais, com consequências a longo prazo. O curioso é que o mesmo estudo feito com os homens não concluiu qualquer alteração relevante. O estudo foi publicano na revista científica Radiology.

Cérebro feminino pode sofrer alteração permanente com o uso de drogas ilícitas
Cérebro feminino pode sofrer alteração permanente com o uso de drogas ilícitas

Como foi o estudo que verificou alterações no cérebro feminino com uso de drogas ilícitas





Pesquisadores analisaram a estrutura do cérebro de 127 homens e mulheres através de imagens de ressonância magnética. De todos os participantes, 59 deles tinham histórico de dependência de metanfetamina e cocaína, por cerca de 15 anos (ou seja, um longo período). O outro grupo foi composto por 68 pessoas saudáveis, sem alteração no cérebro.

Leia também: Mulheres com estresse têm mais vontade de comer doces, revela estudo.

Foi comprovado através de exames que mesmo após um período de pouco mais de um ano sem a utilização de drogas, as mulheres apresentaram alterações cerebrais significantes quando foram comparadas às voluntárias saudáveis.

Os resultados são surpreendentes


Os resultados mostraram que houve redução da substância cinzenta nas regiões frontal, límbica e temporal. O que significa isso? Que as regiões do cérebro ligadas à recompensa, ao controle das funções executivas e ao aprendizado são alteradas por mulheres que usam drogas ilícitas. A substância cinzenta, por exemplo, está associada ao comportamento impulsivo, além de um maior potencial de abuso de drogas.

Leia também: A pílula anticoncepcional na saúde da mulher.

Consideração sobre os resultados


Os cientistas consideram que a pesquisa pode ajudar a descobrir as diferenças biológicas do uso de drogas entre o sexo masculino e feminino e assim estabelecer tratamentos diferenciados para cada gênero.

O Saúde da Mulher lembra que frisamos a expressão drogas "ilícitas", pois o estudo não é sobre drogas medicamentosas (remédios) para depressão e ansiedade. ok?

Fonte: Revista Veja
Conteúdo do Saúde da Mulher é informativo/educativo. Não exclui consulta com profissional de saúde. Este artigo pertence ao Saúde da Mulher. Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada