Viagra feminino, como funciona o flibanserin

Um painel de especialistas recomendou aos reguladores americanos a aprovação do "Viagra" feminino, ou melhor, da substância flibanserin, a primeira droga para estimular a libido feminina, desde que medidas adicionais sejam tomadas para garantir a segurança da medicação.

Leia também: Addyi, o Viagra feminino, acaba de ser aprovado.

Tais medidas são necessárias, pois os efeitos colaterais do Viagra feminino revelados nos testes com mulheres são muito grandes. A FDA, agência que regula o setor de remédios e alimentos nos Estados Unidos, já rejeitou essa substância que produziria o medicamento por duas vezes. A alegação era de que sua eficácia foi muito modesta em comparação ao placebo.

Viagra feminino, como funciona o flibanserin


Efeitos colaterais do flibanserin


Interações negativas com o álcool, sonolência, riscos de desmaio, pressão baixa, enjoos e a ausência de dados sobre os efeitos do uso do medicamento em longo prazo.

Viagra feminino - a quem se destina


Segundo a maioria dos pesquisadores, a aprovação do flibanserin dará pela primeira vez uma alternativa às mulheres com baixo interesse sexual. Eles ressaltam que, além de se especificar as contraindicações na bula, é necessário orientar os médicos e continuar os estudos, mesmo após a comercialização.

A recomendação favorável ao flibanserin acontece após meses de pressão do fabricante desse tratamento, destinado a mulheres que não chegaram à menopausa, mas apresentam baixo desejo sexual.



Comparação do Viagra feminino x Viagra masculino


"É importante salientar que o viagra feminino não se trata do mesmo medicamento Viagra da Pfizer, só que em versão feminina. O nome "viagra" feminino se deu por conta da grande fama do Viagra®. 
No entanto, enquanto o medicamento para os homens atua diretamente nas reações físicas relacionadas à ereção, na versão feminina, - segundo alguns textos - ele atua apenas na liberação de serotonina*, uma substância antidepressiva que está relacionada ao humor e ao sono. E pode-se pensar: "Mas se é assim, então qualquer antidepressivo que atue na serotonina poderia ter o mesmo efeito?" Esta comparação é pertinente e devemos nos lembrar que há um marketing poderoso envolvendo o nome Viagra® e todo medicamento se beneficiaria de se assemelhar a ele. Vale lembrar que já foram lançados outros medicamentos considerados como os viagras femininos, como o Lybrido® [Renata Fraia - farmacêutica]"

* Atualização!
Lendo o estudo original encontrei mais efeitos do viagra feminino, além de atuar na liberação da serotonina, ele na liberação de dopamina e noradrenalina, outras substâncias relacionadas ao humor e bem-estar.

Como foi o estudo com o Viagra feminino (flibanserin)


Inicialmente desenvolvido para ser um antidepressivo, provou-se ineficaz na alteração do humor. Mas nos estudos clínicos com a droga, as mulheres manifestavam um efeito colateral inesperado: um maior interesse em sexo.
O remédio parece agir regulando o equilíbrio dos neurotransmissores nos circuitos cerebrais, principalmente a dopamina, a noradrenalina e a serotonina. "Acreditamos que a droga normaliza ou compensa algo que não esteja ajudando a afinar esses circuitos", afirma Stahl. "Ou ainda, ela pode permitir que as mulheres se libertem da ação desses circuitos frontais que estão inibindo o desejo sexual." [este trecho veio da matéria da BBC]


Leia também: Viagra feminino: Lybrido será o viagra para mulheres.


Segundo documentos disponíveis na página da FDA na Internet sobre um teste clínico, as mulheres que tomaram flibanserin relataram ter tido, em média, 4,4 experiências sexuais satisfatórias em um mês, contra 3,7 no grupo que consumiu o placebo. Antes do início do estudo, essa média era de 2,7.

Segundo vários estudos médicos, pelo menos 40% das mulheres apresentariam diferentes graus de hipoatividade sexual.

Leia mais sobre Saúde íntima
Conteúdo do Saúde da Mulher é informativo/educativo. Não exclui consulta com profissional de saúde. Este artigo pertence ao Saúde da Mulher. Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.

4 comentários:

  1. Muito interessante esse texto, eu não possuía conhecimento sobre o assunto.
    Obrigado pelas informações.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  2. Esses efeitos centrais e da melhora do desejo e do aumento do prazer pode ser encontrado na BUPROPIONA, um antidepressivo com muito mais tempo de uso e já conhecidos efeitos colaterais.

    ResponderExcluir
  3. nossa obrigado pela dica, não sabia que existia. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Catia, este "Viagra feminino" é na verdade uma novidade!

      Excluir

Seu comentário é sempre bem-vindo.

Não indicamos medicamentos, pois apenas um médico, dentista e farmacêutico são autorizados a prescrever prescrever medicamentos e, ainda sim, em um local físico de trabalho.

Fornecemos aconselhamento/assistência farmacêutica.

Infelizmente, não conseguimos responder a todas as perguntas, mas muitas são respondidas pelos próprios internautas que veem as perguntas e as respondem.

ATENÇÃO!
Respostas que não foram escritas pelo Saúde da Mulher NÃO são de responsabilidade do Blog.

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada