• Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher

Micose nas unhas? Trate com laser!

Sabemos que a micose nas unhas é, muitas vezes, um problema difícil de tratar, mas isso está com os dias contados...

Para resolver o problema da micose nas unhas, foi desenvolvido um tratamento a laser para micose nas unhas que recupera a situação dos pés rapidamente.

Micose nas unhas, tratamentos com laser
Micose nas unhas? Trate com laser! foto: Giuliamar

Laser Lúnula

O laser lúnula é o único capaz de eliminar micoses e manchas nas unhas com duas sessões de aplicação, cada uma com duração de 12 minutos.


Com esse tratamento para micose nas unhas as pomadas, cremes, esmalte e remédios para as unhas ficaram no passado, já que esses tratamentos são longos e, muitas vezes não curam de fato os problemas.

+ Unhas enfraquecem no inverno - saiba o que fazer!

O laser para os pés tem alcance superficial, não causando dor nem efeitos colaterais.

O único problema desse tratamento ainda é o preço, por ser bastante recente, uma sessão custa 500 euros! Como toda nova tecnologia ela ainda é muito cara, mas daqui alguns meses podemos ver a novidade por aí, a preços bem mais acessíveis.

micose nas unhas

Fonte: Unhas Decor

Leia Mais ►

Colesterol Alto na Gravidez: como evitar, incidência e consequências


No Dia de Combate ao Colesterol, médico alerta sobre o Colesterol alto na gravidez

O dia 8 de agosto é dedicado ao Dia de Combate ao Colesterol. Sabia que o colesterol alto na gravidez pode ser muito prejudicial?

O aumento de colesterol na corrente sanguínea pode ocasionar entupimento de veias e artérias causando o infarto e o derrame (AVC).

O colesterol provém de duas fontes: do seu organismo e dos alimentos que você ingere. Mohamad Barakat, médico, alerta sobre esse tipo de problema em mulheres grávidas.

Colesterol Alto na Gravidez

Incidência do colesterol alto na gravidez 

Durante o período de gestação o cuidado tem que ser redobrado.

“É esperado um aumento de cerca de 60% do colesterol total, e, portanto, as futuras mamães precisam ficar atentas a esses níveis. Geralmente eles começam a subir na 16ª semana de gestação e por volta das 30 semanas, ele pode chegar a ser 50 ou 60% mais alto que antes da gestação”, comenta Barakat.

Para quem já apresenta níveis altos de colesterol, o cuidado deve ser ainda maior, principalmente com a alimentação, pois o colesterol alto pode ser prejudicial para o bebê.

“Durante a gravidez, a criança pode acumular fios de gordura dentro de seus vasos sanguíneos, e consequentemente, pode vir a favorecer a instalação de doenças cardíacas ainda na infância”, ressalta o médico.

Dicas para evitar o colesterol alto na gravidez (alimentação na gestação): 

Para Barakat, a alimentação deve ser rica em fibras em vitamina C, ou seja, é aconselhável consumo de frutas, principalmente as vermelhas, que se mostraram eficazes na diminuição do colesterol ruim.

“Coma cerca de 3 vezes ao dia, como legumes duas vezes por dia e cereais integrais, sempre que possível. Prefira peixes e adicione azeite de oliva, esse tipo de óleo aumenta o colesterol bom, e isso fará muito bem para quem apresenta nível elevado do LDL (colesterol ruim), além de ficar longe de carboidratos, açúcares e sucos industrializados e refinados”, finaliza.

Leia mais sobre:
  1. Gravidez
  2. Colesterol
  3. Alimentação na gestação
Leia Mais ►

Candidíase, sintomas, tratamentos e causas


Aproximadamente 75% das mulheres (ou seja, a maioria) teve ou vai ter no decorrer da vida a menos um episódio de vaginite, causada em 90% dos casos pela doença candidíase, causada por um fungo chamado Candida Albicans.




Outro dado que não podemos esquecer é a reincidência, ou seja, um posterior episódio de infecção se verifica em pelo menos 40-50% das mulheres.

Ou seja, após uma suposta "cura", a candidíase volta a aparecer em quase metade das mulheres.

O fungo Cândida albicans está normalmente presente em pequenas quantidades na flora vaginal junto com outras bactérias.

Mas saiba que a cura da candidíase é possível!

*CANDIDÍASE, SINTOMAS TRATAMENTOS E CAUSAS*


Candidíase Sintomas


Os sintomas mais comuns da candidíase são secreções vaginais de cor branca acompanhada da sensação de coceira muitas vezes intensa seja a nível interno ou na parte exterior vaginal.

➤➤ Leia também: Crioterapia Facial Estética: o que é Neve Carbônica?

Candidíase Causas


Esse “hóspede” em nosso corpo pode passar da forma latente a forma clínica quando encontra as condições favoráveis, entre elas:
  • presença de açucares 
  • falta de ar (região genital abafada e sem ventilação) 
  • pouca defesa imunitária 
  • após um tratamento com antibióticos, que irá matar as bactérias benignas deixando espaço para a Cândida albicans se desenvolver

Candidíase Tratamentos





O tratamento para a candidíase se baseia na maioria dos casos no uso de medicamentos locais sob forma de aplicações e/ou banhos.

O cetoconazol, o fluconazol e o itraconazol são os medicamentos mais usados para tratar candidíase.

**A utilização desses medicamentos deve ser sempre receitada pelo seu médico ginecologista.**

E nesse ponto é bom fazer uma observação: Receitas caseiras para tratar candidíase e/ou remédios que suas amigas usaram podem não funcionar para você, porque cada corpo responde diferente a um medicamento ou a tratamentos diferentes. Só o médico vai lhe indicar o tratamento mais indicado para tratar a candidíase.

➤➤ Leia também: Crioterapia Facial Estética: o que é Neve Carbônica?

Candidíase como prevenir



IMPORTANTE sobre a candidíase!


Quanto antes a doença candidíase for tratada, mas sucesso a mulher terá na cura da candidíase, então, não deixar de ir ao ginecologista quando notar alguma secreção vaginal estranha é a conduta ideal para o diagnóstico e tratamento da candidíase.

Mais artigos relacionados à candidíase


 1. Saiba sobre a candidíase na gravidez.
 2. Leia também o que é vaginite e vulvovaginite aqui!

Texto de Renata Fraia - Farmacêutica/Jornalista do site Saúde com Ciência
Leia Mais ►

Endermoterapia: como funciona / regiões tratadas / quem não pode fazer


Com a endermoterapia, a gordurinha localizada e os indesejáveis furinhos na pele podem ser amenizados e tratados.

Uma das grandes preocupações, principalmente das mulheres são a celulite e a gordura localizada.Atualmente, há vários tratamentos para amenizar e tratar a celulite e a gordura localizada, e que oferecem ótimos resultados. Um deles é a endermoterapia.

Bastante eficaz, o método utiliza uma massagem profunda que mobiliza as camadas mais profundas da pele.

Endermoterapia: como funciona / regiões tratadas / quem não pode fazer
Endermoterapia: como funciona / regiões tratadas / quem não pode fazer

"Na endermoterapia, utilizamos um aparelho que produz sucção (pressão negativa) e rolamento do tecido, atingindo todas as camadas da pele. É usada uma massagem profunda com vácuo, diminuindo a retração do tecido e aumentando a circulação, oxigenação e nutrição do mesmo. Com o aumento da vascularização, há uma melhora do aporte sanguíneo que gera a eliminação de toxinas, atenuando o efeito 'casca de laranja' da celulite, por exemplo", explica Fabiana Barrese Duarte, fisioterapeuta e diretora da Estética Hollywood.

De acordo com a especialista, após a primeira sessão os resultados já podem ser observados: a pele fica mais viçosa e nutrida, além do efeito lifting que o procedimento proporciona, melhorando a modelagem do corpo. Fabiana afirma que o método pode também ser associado a outros tratamentos e que a pressão utilizada no procedimento deve ser dosada.

"Podemos associar a endermoterapia com a radiofreqüência, o ultrassom de alta potência, a lipocavitação e aos dermocosméticos. A pressão que usamos deve ser bem dosada para que não ocasione hematomas na região tratada. Não é normal o paciente sentir dores durante a sessão e sair com a pele roxa, pois se isso ocorrer significa que houve rompimentos de microvasos, o que não pode acontecer."

A técnica pode ser realizada em diversas áreas do corpo, como abdômen, culote, coxas, glúteo e flancos (os famosos pneuzinhos).


Endermoterapia: como funciona / regiões tratadas / quem não pode fazer
Clique e compre direto na Onofre!


Quem não pode fazer a endermoterapia?


O tratamento não é indicado para pessoas que tenham flacidez de pele grave e presença de varizes, fragilidade vascular, tromboses e tromboflebites na região a ser tratada. A fisioterapeuta recomenda realizar uma avaliação individual antes de qualquer procedimento:
"a avaliação é importante e sempre indicada, pois com ela podemos examinar a pele do paciente, indicar a melhor maneira de realizar o procedimento e outras possíveis contraindicações que podem existir."
fonte: Fabiana Barrese Duarte - fisioterapeuta e diretora da Estética Hollywood

Leia mais sobre dermatologia estética.
Leia Mais ►

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada