• Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher

Endermoterapia: como funciona / regiões tratadas / quem não pode fazer


Com a endermoterapia, a gordurinha localizada e os indesejáveis furinhos na pele podem ser amenizados e tratados.

Uma das grandes preocupações, principalmente das mulheres são a celulite e a gordura localizada.Atualmente, há vários tratamentos para amenizar e tratar a celulite e a gordura localizada, e que oferecem ótimos resultados. Um deles é a endermoterapia.

Bastante eficaz, o método utiliza uma massagem profunda que mobiliza as camadas mais profundas da pele.

Endermoterapia: como funciona / regiões tratadas / quem não pode fazer
Endermoterapia: como funciona / regiões tratadas / quem não pode fazer

"Na endermoterapia, utilizamos um aparelho que produz sucção (pressão negativa) e rolamento do tecido, atingindo todas as camadas da pele. É usada uma massagem profunda com vácuo, diminuindo a retração do tecido e aumentando a circulação, oxigenação e nutrição do mesmo. Com o aumento da vascularização, há uma melhora do aporte sanguíneo que gera a eliminação de toxinas, atenuando o efeito 'casca de laranja' da celulite, por exemplo", explica Fabiana Barrese Duarte, fisioterapeuta e diretora da Estética Hollywood.

De acordo com a especialista, após a primeira sessão os resultados já podem ser observados: a pele fica mais viçosa e nutrida, além do efeito lifting que o procedimento proporciona, melhorando a modelagem do corpo. Fabiana afirma que o método pode também ser associado a outros tratamentos e que a pressão utilizada no procedimento deve ser dosada.

"Podemos associar a endermoterapia com a radiofreqüência, o ultrassom de alta potência, a lipocavitação e aos dermocosméticos. A pressão que usamos deve ser bem dosada para que não ocasione hematomas na região tratada. Não é normal o paciente sentir dores durante a sessão e sair com a pele roxa, pois se isso ocorrer significa que houve rompimentos de microvasos, o que não pode acontecer."

A técnica pode ser realizada em diversas áreas do corpo, como abdômen, culote, coxas, glúteo e flancos (os famosos pneuzinhos).


Endermoterapia: como funciona / regiões tratadas / quem não pode fazer
Clique e compre direto na Onofre!


Quem não pode fazer a endermoterapia?


O tratamento não é indicado para pessoas que tenham flacidez de pele grave e presença de varizes, fragilidade vascular, tromboses e tromboflebites na região a ser tratada. A fisioterapeuta recomenda realizar uma avaliação individual antes de qualquer procedimento:
"a avaliação é importante e sempre indicada, pois com ela podemos examinar a pele do paciente, indicar a melhor maneira de realizar o procedimento e outras possíveis contraindicações que podem existir."
fonte: Fabiana Barrese Duarte - fisioterapeuta e diretora da Estética Hollywood

Leia mais sobre dermatologia estética.
Conteúdo do Saúde da Mulher é informativo/educativo. Não exclui consulta com profissional de saúde. Este artigo pertence ao Saúde da Mulher. Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada