• Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher
  • Anunciar no Saúde da Mulher

Que dores são normais na gravidez

O anúncio da gravidez traz consigo a alegria de ser mãe, mas também a preocupação de possibilidades de aparecimento de dores na gravidez.

Mas que dores são normais na gravidez?

Algumas dores são normais na gravidez, afinal, seu corpo está passando por transformações físicas (há 1 ou mais bebês crescendo dentro de você) e hormonais. O surgimento de dores pelo corpo durante a gestação pode estar ligado a diversos fatores como peso e preparo físico da mãe, tamanho do bebê e o quanto a mulher ganha peso ao longo do pré-natal.

As dores mais comuns na gravidez são:

  • Nos 3 primeiros meses: dores abdominais como cólicas, dor pélvica, dor de cabeça (pela adaptação hormonal);
  • Nos próximos meses: dor na virilha e na coxa (peso do bebê), dor de cabeça (pelo acúmulo de líquidos no corpo), dor nas articulações (também pelo excesso de líquido), dores nas pernas (peso do bebê e aparecimento de varizes), dor de estômago (pela pressão que o bebê faz);
  • Nas últimas semanas: contrações uterinas esporádicas, dor lombar (pelo peso da barriga), 

+ Leia mais sobre GRAVIDEZ.

Com intensidades variadas, as dores podem ser evitadas se a futura mamãe preparar o seu corpo previamente para receber o bebê.

Que dores são normais na gravidez
Que dores são normais na gravidez? / foto: arquivo

O obstetra e membro da Associação de Ginecologistas e Obstetras de Minas Gerais (Sogimig), Maurílio Trigueiro, ressalta que o incômodo é resultado das alterações hormonais e da adaptação do corpo para a chegada do bebê.

A variação da dor, em tipo e intensidade, é que muda conforme o ganho de peso da mulher e condicionamento físico”, explica.

O médico ressalta anda que os três primeiros meses podem causar dores abdominais como cólicas, dor pélvica e depois, nas últimas semanas, contrações uterinas esporádicas.

 “É preciso verificar caso a caso, mesmo as dores sendo consideradas normais, nas variadas situações é possível encontrar soluções para cada tipo de dor, como uso de meias compressivas, travesseiros especiais, evitar permanecer na mesma posição por longos períodos, controlar o ganho de peso durante a gestação e alongamentos”, completa.

Fonte: Sogimig
Conteúdo do Saúde da Mulher é informativo/educativo. Não exclui consulta com profissional de saúde. Este artigo pertence ao Saúde da Mulher. Plágio é crime previsto no artigo 184 do Código Penal.

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada