ANTICONCEPCIONAIS ORAIS DE PROGESTERONA (Minipílula)

ANTICONCEPCIONAIS ORAIS DE PROGESTERONA (Minipílula)

Composição
Anticoncepcional contendo apenas progesterona.

Tipos
Pode ser encontrado em embalagens com 35 pílulas ativas. Todos os comprimidos têm a mesma composição e dose.

Mecanismo de ação
Promovem o espessamento do muco cervical, dificultando a penetração dos espermatozóides. Inibem a ovulação, em aproximadamente, metade dos ciclos menstruais.


Critérios de Elegibilidade desenvolvidos pela Organização Mundial de Saúde (WHO, 1996 - Categoria 4) Gravidez comprovada ou suspeita· Hipertensão arterial grave e moderada· Hepatopatias graves· Doenças tromboembolíticas ou antecedentes importantes· Hemorragia genital de causa indeterminada· Pacientes que fazem uso crônico de drogas que interagem com o anticoncepcional· Dislipidemias severas· Retardo mental que possa dificultar o uso correto

Eficácia

Para a lactante: É muito eficaz quando usada de forma correta e consistente, com uma taxa de falha de aproximadamente 0,5 em cada 100 mulheres em um ano.
Para a não lactante: A eficácia em uso correto e consistente também é alta, mas não tão alta quanto a da pílula combinada.

Vantagens· Pode ser utilizado durante a lactação· É de fácil utilização

Desvantagens· Tem um índice de falha maior do que os contraceptivos orais combinados· Algumas horas de atraso já são suficientes para aumentar o risco de gravidez

Modo de uso
Especialmente indicada para mulheres em período de amamentação, seu uso é contínuo após o término da cartela. É de particular importância não ser tomada após o horário habitual sob risco de diminuição da eficácia. AMAMENTAÇÃO: seis semanas após o parto. Se a menstruação já retornou, a mulher pode começar a tomar a minipílula a qualquer momento, desde que se tenha certeza de que a mulher não está grávida. PÓS PARTO, se não estiver amamentando: imediatamente, ou a qualquer momento durante as quatro primeiras semanas; não é necessário esperar o retorno das menstruações. PÓS ABORTO espontâneo ou provocado: imediatamente ou nos primeiros sete dias após o aborto. DURANTE A MENSTRUAÇÃO NORMAL: deve ser iniciado no primeiro dia do ciclo menstrual.

Efeitos colaterais.
Para as mulheres que não estão amamentando, os efeitos colaterais mais comuns são as alterações no fluxo menstrual; spotting (manchas), amenorréia que pode ocorrer durante vários meses. Para as lactantes, as alterações menstruais podem não ser percebidas ou não representam incômodo, porque essas mulheres habitualmente não têm ciclos regulares; os anticoncepcionais orais somente de progesterona podem prolongar a amenorréia durante a amamentação. Outros efeitos colaterais comuns são cefaléia e sensibilidade mamária.

Benefícios e Riscos
Benefícios · Podem ser usados por lactantes a partir de seis semanas após o parto. · Podem ajudar a prevenir: doenças benignas de mama, câncer de endométrio ou de ovário, doença inflamatória pélvica.

Riscos
Por conter somente progesterona em dose muito baixa, a minipílula praticamente não apresenta riscos importantes à saúde. Pode ser considerada um dos anticoncepcionais mais seguros. O risco mais importante é a falha anticoncepcional. As usuárias desse método apresentam maior risco de gravidez ectópica do que as usuárias de anticoncepcional oral combinado e de DIU, porém o risco é menor do que entre as mulheres que não estão usando nenhum método anticoncepcional.


ANTICONCEPCIONAL ORAL COM DOSES MAIORES DE PROGESTERONA

Composição
Este anticoncepcional contém apenas um tipo de progesterona, o desogestrel, na dose de 75 mcg em cada comprimido. É comercializado em embalagens com 28 pílulas ativas. Todos os comprimidos têm a mesma composição e dose.

Mecanismo de ação
O principal mecanismo de ação é a inibição da ovulação e o aumento da viscosidade do muco cervical, dificultando a penetração dos espermatozóides. Critérios de Elegibilidade desenvolvidos pela Organização Mundial de Saúde (WHO, 1996 - Categoria 4)  Gravidez comprovada ou suspeita· Hipertensão arterial grave e moderada· Hepatopatias graves· Doenças tromboembolíticas ou antecedentes importantes· Hemorragia genital de causa indeterminada· Pacientes que fazem uso crônico de drogas que interagem com o anticoncepcional· Dislipdemias severas· Retardo mental que possa dificultar o uso correto

Eficácia
A eficácia descrita na monografia do produto, incluindo mulheres lactantes e não lactantes, mostrou uma taxa de falha de 0,14 por 100 mulheres em 1 ano. Quando excluídas as lactantes, os estudos mostraram uma taxa de falha de 0,17 por 100 mulheres em 1 ano.

Vantagens·
Pode ser utilizado durante a lactação· É de fácil utilização.Desvantagens· Existe um alto índice de amenorréia ou sangramento infrequenteModo de usoSeguem rotina semelhante ao dos demais anticoncepcionais de progesterona. Deve ser iniciado no primeiro dia do ciclo menstrual, sempre no mesmo horário, sendo seu uso contínuo após o término da cartela.

Efeitos colaterais
Os efeitos colaterais mais comuns estão relacionados às alterações do fluxo menstrual sendo que, ao final de um ano, aproximadamente 50% das mulheres apresentaram amenorréia ou sangramento infrequente e 4% continuaram apresentando sangramento freqüente. Outros efeitos secundários menos freqüentes foram: cefaléia, acne, sensibilidade mamária, náusea, vaginite e dismenorréia.

Benefícios e Riscos
Benefícios: Podem ser usados por lactantes a partir de seis semanas após o parto. Não apresentam os efeitos colaterais do estrógeno.

Riscos: Por conter somente progesterona, praticamente não apresenta riscos importantes à saúde.

Importante: Só use o método contraceptivo que seu ginecologista recomendou.

Leia mais sobre Anticoncepcionais no blog Saúde com Ciência: 
  1. Pílula do dia seguinte aqui;
  2. Tudo sobre anticoncepcionais hormonais aqui;
  3. Pílula Nociclin proibida aqui;
  4. Anticoncepcional masculino aqui;
  5. Cérebro aumenta na ovulação aqui;
  6. TPM em adolescentes aqui
  7. Sabonetes íntimos - saiba tudo sobre ele

2 comentários:

  1. Olá blogueiro,

    Dê ao seu filho o que há de melhor. Amamente!

    Quando uma mulher fica grávida, ela e todos que estão à sua volta devem se preparar pra oferecer o que há de melhor para o bebê: o leite materno.

    O leite materno é o único alimento que o bebê precisa, até os seis meses. Só depois se deve começar a variar a alimentação.

    A amamentação pode durar até os dois anos ou mais.



    Caso se interesse na divulgação de materiais e informações sobre esse tema, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br

    Obrigado pela colaboração!

    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir
  2. ola eu tenho uma bebe de 9 meses e ate agora nao fiquei mestruada , posso toma este remedio ou tenho que ir no medico ????????

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem-vindo.

Não damos receitas nem indicamos medicamentos, pois apenas um médico e em um consultório é autorizado a prescrever medicamentos.

Fornecemos aconselhamento/assistência farmacêutica de farmacêuticos

ATENÇÃO!
Respostas que não foram escritas pelo Saúde da Mulher NÃO são de responsabilidade do Blog.

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada
sem acentos