Como engravidar de menina

É menino ou menina? Hoje em dia em poucos meses a gente já pode saber o sexo do bebê e começar a preparar o enxoval. Mas a gente sempre tem (ou pode ter) uma preferência. Ou por que sempre sonhamos em dar um certo nome para nosso bebê, ou por que temos preferência por crianças de determinado sexo ou ainda porque já temos um filho do outro sexo. Mas como fazer valer essa preferência? Se quiser engravidar de menina, por exemplo, a resposta está abaixo:

Como engravidar de menina?


Para engravidar de uma menina, os cientistas recomendam aumentar o consumo de certos alimentos. Os indicados são os ricos em cálcio e em magnésio.

Como engravidar de menina
alimentos para engravidar de menina!

Então, se você quer engravidar de menina consuma:

- leite e derivados,
- espinafre,
- couve,
- rúcula
- gérmen de trigo
- aveia
- farelo de arroz
- arroz integral
- nozes e castanhas.

De acordo com os pesquisadores, esse tipo de alimentação muda a concentração desses minerais no sangue e pode determinar se o bebê será menino ou menina. Para que os resultados sejam alcançados, a mulher deverá iniciar a nova dieta cerca de 9 semanas antes da primeira tentativa de engravidar.

Leia mais sobre Gravidez

Quando ter relações para engravidar de menina?


1. Tenha relações de 2 a 3 dias antes do período fértil, com um contato íntimo menos profundo, fazendo com que os espermatozoides que carregam os gametas X, que são os femininos, vençam a corrida contra os de gameta Y. Essa técnica tem até 80% de chances de dar certo.

2. Empenhar-se em ter um contato íntimo menos profundo e não chegar ao clímax antes do companheiro.

3. Através desse estudo os investigadores concluíram que a alimentação da mulher é determinante na escolha do sexo do bebê. Se somente essa dieta for levada em consideração, a probabilidade de ter uma menina ainda fica em torno de 73%.

Importante! Esses alimentos são muito importantes. Então, se você pensar em engravidar de menino, NÃO tire os alimentos da sua dieta, só não os consuma em número maior.

Fontes:
-Female gender pre-selection by maternal diet in combination with timing of sexual intercourse - a prospective study.
-AM Noorlander; JPM Geraedts; JBM Melissen.
Leia Mais ►

Mastite, sintomas e tratamentos

A dor nos seios durante a amamentação pode ser causada pela mastite e é comum a muitas mulheres no início da amamentação.

Saiba quais são os sintomas da mastite, as causas e o tratamento, em mais um artigo sobre a saúde dos seios.

Mastite, o que é


É uma inflamação da glândula mamária comum nas primeiras semanas após o parto. O aparecimento da mastite é muito comum entre as mulheres que amamentam.

Mastite, sintomas

  • Inchaço, 
  • vermelhidão,  
  • dor 

Os sintomas da mastite instalam-se numa das mamas, quase sempre nas primeiras semanas após o parto. É uma inflamação da glândula mamária, que tanto pode ser infecciosa como devido ao entupimento dos ductos mamários (os canais por onde passa o leite).

mastite sintomas e tratamentos
amamentação pode causar mastite




    É o típico ingurgitamento, fonte de dor em muitas mulheres que amamentam.

    Os sintomas da mastite tendem a aparecer em apenas uma das mamas, raramente em ambas. Ao inchaço e à dor podem juntar-se a febre e um mal-estar geral, que em nada contribuem para a tranquilidade desejada no momento de amamentar o bebê.

    Um desconforto que, aliado ao receio de passar a infecção para o bebê, pode levar a mulher a desistir precocemente de amamentar.

    Todavia, não há razões médicas que o justifiquem. Não há risco de o bebê ficar infectado e o mais que pode acontecer é que o leite tenha um sabor diferente.

    Artigos que você poderá gostar...


    Mastite infecciosa

    Na mastite infecciosa, as bactérias ‒ existentes na pele da mulher ou na boca do bebé‒ penetram na glândula mamária através de uma lesão na pele da mama ou através da abertura dos ductos mamários, no mamilo. Uma vez nos tecidos internos da mama, as bactérias multiplicam-se, causando dor, vermelhidão e inchaço e obstruindo a passagem do leite.

    Mastite por entupimento do canal do leite

    Pode acontecer também que a doença não tenha origem infecciosa, sendo a inflamação consequência do acumular de leite nos ductos, por insuficiente esvaziamento da mama.

    Mastite, tratamentos

    Recorra a um médico, pois se a causa da doença for infecciosa é necessário um antibiótico, que deve ser tomado até ao fim (ou de acordo com indicações específicas do prescritor) ainda que os sintomas melhorem ou desapareçam.

    Tratar a mastite é importante para prevenir algumas das suas complicações. Desde logo o desenvolvimento de abcessos mamários ‒ pequenos nódulos com pus que podem requerer drenagem cirúrgica. Outra das complicações possíveis envolve o alastramento do leite acumulado nos ductos ao tecido mamário circundante, causando maior dor e inflamação. Há ainda que ter em conta o fato de a doença ser recorrente, podendo repetir-se durante o tempo de amamentação do mesmo bebé ou após um segundo parto.

    Em regra, o tratamento da mastite infecciosa prolonga-se por duas semanas caso haja necessidade de tomar anbióticos. Se os sintomas entretanto não cessarem é melhor voltar ao médico, pois há uma forma rara de cancro da mama ‒ inflamatória ‒ que também se manifesta através de vermelhidão e inchaço, podendo inicialmente ser confundida com a doença.

    Paralelamente ao tratamento, a mulher pode adotar uma série de cuidados que lhe vão proporcionar alívio. É o caso da aplicação de compressas mornas sobre a mama afectada e da ingestão reforçada de líquidos.

    Continuar a amamentar também ajuda, pois estimula o fluxo de leite, prevenindo o ingurgitamento.

    E ao mesmo tempo permite ao bebê desfrutar daquele que é, reconhecidamente, o melhor alimento no primeiro ano de vida.

    Mastite, prevenção

    Ao amamentar, há alguns gestos que ajudam a prevenir a mastite ou atenuá-la:

    • Esvazie completamente uma mama antes de passar para a outra
    • Na refeição seguinte, comece pela mama que ofereceu ao seu bebê em último lugar na refeição anterior
    • Retire leite com uma bomba própria se sentir a mama demasiado cheia e ainda faltar tempo para a próxima refeição do bebê
    • Não amamente sempre na mesma posição
    • Não deixe o seu bebê usar a mama como chupeta
    • Use um sutiã adequado, com reforço
    • Aplique um creme nutritivo próprio para os seios para prevenir as fissuras. Fonte

    + sobre Saúde dos Seios
    Leia Mais ►

    Candidíase na gravidez prejudica o bebê?

    A candidíase na gravidez é muito comum, já que nesta fase o pH vaginal fica alterado, facilitando a contaminação por fungos como o da candidíase.

    Candidíase na gravidez prejudica o bebê?


    A resposta é simples e vai deixá-la aliviada se estiver grávida e com candidíase. Não! A candidíase na mãe não prejudica o bebê, pois a infecção é localizada na área vaginal da mulher.

    No entanto, se você tiver candidíase no momento do parto, há uma pequena chance de contágio quando a criança passar pelo canal vaginal em caso de parto normal.

    Se estiver com sintomas de candidíase ou outra vaginite não deixe de avisar o médico para tratar antes de o parto acontecer.

    Candidíase na gravidez prejudica o bebê?
    Candidíase na gravidez prejudica o bebê?

    No entanto, se na hora do parto você ainda tiver o problema, AVISE o obstetra (o médico que estiver fazendo o parto), isso poderá evitar que o recém-nascido entre em contato com a infecção.

    >> Leia tudo sobre Candidíase!

    E qual o problema da infecção por candidíase no bebê recém-nascido?


    Esta infecção pode provocar feridinhas brancas na boca do bebê (o famoso sapinho). O problema ainda pode ser transmitido para os seios da mãe por causa da amamentação.


    Dicas Saúde da Mulher
    1. Evite alimentos muito ácidos (limão e outras frutas cítricas e vinagre) quando estiver com sintomas de candidíase, pois eles podem causar sintomas parecidos aos da infecção. 
    2. Se você está grávida e com candidíase saiba que a infecção por cândida não é grave e pode ser tratada facilmente.
    Leia Mais ►

    Máscaras hidratantes para cabelos, com frutas

    Você sabia que frutas como abacate, banana, mamão podem fazer maravilhas por seus cabelos? Veja algumas máscaras caseiras para os cabelos com essas frutas:

    - Máscara hidratante para os cabelos com abacate: Bata meio abacate com duas colheres de mel, e passe nos fios úmidos. Depois de agir por vinte minutos com touca térmica ou toalha úmida e quente, lave os cabelos. Faça uma vez por semana.
    Máscaras hidratantes para cabelos, com frutas
    Foto: Flickr

    - Máscara hidratante para os cabelos com banana: Utilize uma banana amassada (se ela já estiver com a casca pretejando é melhor) com aveia em flocos finos. Aplique nos cabelos molhados e deixe por 20 minutos. Lave os fios depois. Repita uma ou duas vezes por semana, para cabelos muito agredidos.

    - Máscara hidratante para os cabelos com mamão e banana: Amasse meio mamão com uma banana média e aplique nos cabelos úmidos e coloque uma touca térmica ou toalha. Após 20 minutos lave os cabelos normalmente.

    Veja mais máscaras caseiras.
    Veja também: A importância do zinco na saúde das mulheres

    Dica: Não guarde as sobras, pois não possuem conservantes. Uma opção é comê-las, já que as frutas são saudáveis e jogar comida fora é desperdício.
    Leia Mais ►

    Cortisol no leite materno afeta crescimento e temperamento do bebê

    O leite materno e suas grandes surpresas... A mais nova descoberta é sua ação do cortisol do leite materno no bebê no crescimento e temperamento do bebê.

    A cada dia se descobre um novo benefício do leite materno, ou seja, uma nova razão para amamentar o bebê. Se não bastassem os anticorpos que o bebê recebe da mãe, primeiramente pelo colostro e depois pelo leite materno, agora uma nova pesquisa revela algo ainda mais surpreendente.

    Cortisol no leite materno afeta crescimento e temperamento do bebê
    Cortisol no leite materno afeta crescimento e temperamento do bebê


    Um hormônio do leite materno envia mensagem ao bebê durante a amamentação. Seria uma espécie de whats ap biológico?

    Um novo estudo sobre o leite materno avalia a densidade energética do leite e o quanto ele é produzido.

    Os glicocorticoides no leite materno (em particular o cortisol) têm sido associados com a herança comportamental em vários mamíferos, inclusive no homem.

    >> Leia mais sobre amamentação no Saúde da Mulher.

    Um estudo feito pela Harvard e publicado na Behavioral Ecology investigou a relação entre o leite materno e o temperamento infantil. O estudo foi realizado em macacos rhesus (Macaca mulatta) no National Primate Research Center California.

    A pesquisa liderada por Katie Hinde mostra que os glicocorticóides no leite materno (em especial o cortisol), independente da energia disponível no leite, previu um temperamento mais nervoso, menos confiante nos filhos.

    Também foram encontradas diferenças entre os sexos (meninos x meninas) quanto a magnitude da sensibilidade aos glicocorticóides de origem materna.

    Mães de menos macacos fabricam leite com concentrações mais altas de cortisol. As concentrações de cortisol no leite também foram associadas com maior ganho de peso dos bebês ao longo do tempo.

    Somados, estes resultados sugerem que as mães com menos recursos somáticos, mesmo em cativeiro, podem ser "programadas" através de sinalização do cortisol, a gerar uma prole cautelosa que prioriza o crescimento.

    Os glicocorticóides ingeridos através do leite podem contribuir de forma importante para a assimilação da energia do leite disponível, o desenvolvimento do temperamento da criança, e orquestrar, em parte, a alocação da energia do leite materno entre crescimento e comportamento.

    Fonte: beheco.oxfordjournals.org
    Leia Mais ►

    7 nutrientes para mulheres e + 1

    Confira 7 nutrientes e + 1 que são indispensáveis para a saúde da mulher.

    1. Cálcio
    O cálcio reduz a chance de desenvolver osteoporose e a maioria das mulheres não consome a dose necessária desse nutriente. Além dos laticínios, folhas verdes, frutos do mar e legumes são boas fontes de cálcio.
    Dose ideal: 1 mg por dia e 1,2 mg por dia depois da menopausa

    2. Magnésio
    O Magnésio ajuda a produzir energia celular que mantém os músculos e nervos, o ritmo vascular, aumenta sua imunidade, constrói ossos, regular o açúcar no sangue e a pressão! Boas fontes de magnésio são: espinafre, castanha do pará, comida não processada, grãos integrais, frutas.
    Dose diária: 310 a 320 mg por dia; 350 a 360 mg se estiver grávida.

    7 nutrientes fundamentais para mulheres
    7 nutrientes fundamentais para mulheres e + 1

    3. Ômega-3
    Acalmar inflamações, melhorar a saúde do coração e prevenir o câncer são alguns dos benefícios do ômega-3. Para obtê-lo, coma peixes - principalmente salmão, sardinha e atum), óleo de canola, sementes de chia e sementes de linhaça.

    4. Ubiquinona
    Nosso corpo converte a coenzima Q10 em ubiquinona, processo que se torna mais difícil depois dos 40 anos. O ubiquinona aumenta a capacidade cardiovascular, neurológica e melhora das funções do fígado. É também o antioxidante mais forte que existe, o que desacelera o envelhecimento e baixa o colesterol. Por isso, alimente-se com peixes oleosos, carne, grãos integrais, azeitona e óleo de gergelim.

    5. Vitamina D
    Considerado um super nutriente, a conhecida Vitamina D fica mais poderosa a medida que os estudos avançam. Ajuda o corpo a manter a quantidade certa de cálcio e fósforo no sangue e ajuda a formar e manter ossos fortes. Fortalece o sistema imunológico e a força dos músculos. Para obtê-la se alimente com ovos e salmão e também tome bastante sol, mas sempre com protetor solar.

    6. Vitamina C
    A vitamina C não está apenas nas frutas cítricas como laranja e limão. Vegetais verde escuro também são uma ótima fonte. Mas onde mais encontramos a vitamina C são em frutas como acerola, caju e goiaba.
    Dose diária: 75 mg por dia; 85 mg por dia se estiver grávida; 120 mg por dia se estiver amamentando. Se você é fumante, acrescente 35 mg.

    7. Ferro
    Muitas mulheres desenvolvem anemia por falta de ferro que ajuda o organismo a distribuir o oxigênio no sangue. No entanto, o excesso deste nutriente pode fazer mal.
    Dose Ideal: 18 mg por dia se você está menstruada, 27 mg por dia para mulheres grávidas, 9 mg por dia se está amamentando e 8 mg por dia depois da menopausa.

    + 1. Silício

    Alimentos ricos em silício são eficazes contra o envelhecimento da pele, pois o mineral silício participa da formação de colágeno, proteína que dá firmeza e elasticidade à pele.

    Para fazer efeito duas a três porções diárias já seriam suficientes.


    Fontes: She Knows e Saúde com Ciência
    Foto: Darren Lewis/publicdomainpictures
    Leia Mais ►

    Vitamina B combate a TPM e seus sintomas


    Há muito que se diz que as vitaminas do complexo B são auxiliares contra a TPM, mas agora cientistas comprovaram a eficácia da vitamina B para aliviar os sintomas da TPM.

    Uma pesquisa recente comprova que as vitaminas do complexo B aliviam muitos dos sintomas da TPM como cólicas, dores de cabeça, náuseas e irritabilidade. O estudo foi publicado na revista American Journal of Clinical Nutrition e revelou que a vitamina B presente em muitos alimentos pode fazer muito para combater os sintomas incômodos. A tiamina (vitamina B1) e a vitamina B2 ( riboflavina), assim como a vitamina B6 são as principais delas.


    Os alimentos que são ricos em tais vitaminas devem estar sempre presentes na alimentação das mulheres, especialmente nas 2 semanas imediatamente anteriores ao início da menstruação.

    Os alimentos ricos em vitaminas do complexo B são:
    • cereais integrais, 
    • leguminosas, 
    • nozes, 
    • leite 
    • gema de ovos, 
    • carne 
    • vegetais de folhas verdes
    • banana (especialmente B6)

    Os pesquisadores dizem que os suplementos (em forma de comprimidos ou cápsulas) não são necessários. É importante que a ingestão dessas vitaminas seja constante, através da dieta diária feminina.

    ATENÇÃO mulheres, namorados e maridos! Saiba mais sobre a TPM abaixo:
    Fonte: AJCN e Saúde com Ciência
    Leia Mais ►

    Como lidar com crianças agressivas na escola. Dicas!

    Crianças agressivas na escola: como lidar com o problema.

    Será que é verdade que é de pequeno que se torce o pepino? É claro que esta expressão pode servir para dizer que as crianças devem ser educadas adequadamente desde cedo, mas também podem sugerir INADEQUADAMENTE a agressão dos pais contra as crianças.

    Brincadeiras à parte aprender a como lidar com crianças agressivas na escola é dever de professores e também dos pais, até mesmo dos pais daquelas crianças que sofrem a agressão. TODOS precisam aprender a lidar com o problema.

    A boa notícia é que pode ser mas fácil do que imaginamos...

    Como lidar com crianças agressivas na escola.
    Como lidar com crianças agressivas na escola. Dicas!

    Como lidar com crianças agressivas na escola

    O que professores e pais devem saber.

    1. SOCORRO:

    A agressividade pode estar por trás de alguma carência (real ou imaginária) da criança. Esta pode ser a única maneira que a criança encontrou de pedir socorro.

    O que fazer? Segundo Quézia Bombonatto, psicopedagoga e presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia (ABPp),

    "Os pais não devem atender aos desejos dos filhos quando eles tomam atitudes agressivas, porque isso só vai reforçar a ideia de que é pela força, pela agressão e pelo grito que conseguimos o que queremos. Os pais não podem reforçar esse comportamento. No caso da birra, não se pode atender ao pedido enquanto o filho não tiver um comportamento adequado.

    Ainda segundo ela, os pais devem também refletir sobre como eles próprios agem quando querem alguma coisa, para avaliar se estão dando o modelo correto para seus filhos. Os pais precisam observar suas próprias atitudes, suas 'birras', antes de começarem a exigir das crianças aquilo que talvez falte em seus próprios comportamentos". [Como lidar com a agressividade das crianças pequenas/Educar para Crescer]

    2. NÃO AGRIDA A CRIANÇA:

    É fato comprovado que um adulto revidar uma agressão feita pela criança é extremamente prejudicial a ela. Além de a força do adulto ser infinitamente maior do que a da criança e ele pode, mesmo sem consciência disso, ferir gravemente a criança. E aí pode ser tarde demais.

    Além disso, há uma frase muito útil neste caso, jamais se esqueça de: "Quem bate ensina a bater". Os pais que "educam" os filhos com tapas e surras o estão ensinando que este é o modo de agir quando querem corrigir ou repreender alguém. Esse alguém poderá ser um colega da escola, uma professora... e mais tarde, a namorada, uma pessoa que passar na rua e o irritar de qualquer maneira.

    Em resumo: Já deu pra entender de que lidar com crianças agressivas na escola a dica é bater, eles devem saber essa é a PIOR maneira de se ensinar algo a alguém. Muito pelo contrário, se os pais acham que para a criança ficará cada vez mais agressiva, naturalmente, o que é uma grande pensa e pode ser prejudicial a toda uma sociedade, no futuro.


    + Leia mais sobre filhos no Saúde da Mulher.


    3. OS AGREDIDOS:

    Quase todo pai ou toda mãe já disse para o filho: "Você não vai bater nos coleguinhas, mas se baterem em você, bata também". Okay, para alguns isso pode resolver o problema de imediato. Mas quais as consequências a médio e longo prazo?

    Será que ele não vai achar que ele também pode bater quando quiser algo? Hummm... Talvez a melhor maneira de lidar com uma criança que o agrediu na escola seja manter a calma. Ou seja, ensinar ao filho/a a não revidar de imediato e simplesmente se afastar da criança agressora seja o primeiro e mais importante passo. Mas incentive a criança a contar a você o que aconteceu.

    Então você ensina que mais tarde ou no dia seguinte ele chegue para o coleguinha e pergunte o porquê da agressão.

    Para casos em que a agressão se repete várias vezes, o ideal é que haja uma conversa entre pais (do agressor e do agredido) e professores.

    Lembre-se: se seu filho foi o agredido, não fique com raiva da criança agressora, pois ela, provavelmente, está passando por um momento difícil na vida. Talvez valha a pena, em vez disso, ir conversar - numa boa - com os pais da criança. Incutir em seu filho a raiva pela criança que o agrediu também não é uma boa ideia, afinal, você não quer que as brigas cheguem a limites extremos, Às vezes, enquanto os pais tomam as brigas para si e envolvem a família inteira, as crianças já fizeram as pazes há muito tempo.

    Texto: Redação Saúde da Mulher
    Leia Mais ►

    Cosméticos Multifuncionais, o que são


    Com alta tecnologia, os cosméticos multifuncionais possuem diversos benefícios para o tratamento do corpo e dos cabelos.

    Com o excesso de tarefas e a correria do dia a dia, as pessoas buscam cada vez mais formas de otimizar o tempo. Diante disso, até mesmo o mercado de cosméticos precisou se adaptar ao ritmo da vida moderna. Atualmente, no lugar de inúmeros cremes, cada um com uma função diferente, a indústria aposta nos produtos multifuncionais.

    Cosméticos Multifuncionais, o que são
    Cosméticos Multifuncionais, o que são / foto: Strecosa

    De acordo com pesquisa realizada pela Mintel, empresa inglesa especializada em inteligência de consumo e produto, 38% dos brasileiros utilizam cosméticos com múltiplas funções frequentemente.

    Seguindo o exemplo da maquiagem multifuncional
    Hoje, é comum encontrarmos nas prateleiras os BB Cream, que segundo o levantamento da Mintel três em cada dez mulheres utilizam diariamente, CC Cream e DD Cream, além de cremes pós-barba com filtro solar, desodorantes com ação clareadora das axilas, xampus a seco, entre outros.

    Cosméticos Multifuncionais - O que são

    Trata-se de cosméticos produzidos a partir de matérias-primas de alta tecnologia, com propriedades capazes de cuidar de dois ou mais problemas específicos.

    Para Juliana Frutuoso, Gerente de Negócios da divisão de Health & Personal Care da Beraca, essa é uma tendência que se fortalecerá com o passar dos anos.

    "A indústria cosmética está focada em desenvolver fórmulas altamente tecnológicas e eficazes, pois as pessoas não querem mais perder tempo e dinheiro com diversos produtos. Hoje, os consumidores buscam praticidade em todas as suas ações, até mesmo nos cuidados com a beleza. É possível encontrar um creme facial, por exemplo, com propriedades regeneradoras, antioxidantes, hidratantes e nutritivas", avalia a especialista. 
    Diante desse desejo do consumidor, a Beraca investe anualmente cerca de 3% do seu faturamento em inovação e tecnologia. "É o nosso papel estudar o comportamento do público e desenvolver ativos com múltiplas funções, que podem ser utilizados na formulação de produtos para os cabelos, o corpo e o rosto. Contamos com soluções como o exclusivo Beracare DPS, que atua na camada dérmica da pele e auxilia na proteção e regeneração", destaca Juliana Frutuoso.

    Para apresentar os múltiplos benefícios desses cosméticos multifuncionais, a especialista da Beraca selecionou algumas das matérias-primas que possuem múltiplas funções e que podem ser utilizadas nos cuidados com a beleza.

    Matérias-primas para os cosméticos multifuncionais:


    Beracare DPS (Dermal Protective Active System): Possui ação dérmica anti-inflamatória, antioxidante, previne dos danos causados pela radiação UV, auxilia no aumento e na manutenção da elasticidade da pele.

    Utilização: Antiaging, cremes noturnos e diurnos, hidratantes corporais e produtos masculinos.

    ARS Body: Indicado para o tratamento da pele, promove a regeneração, nutrição, revitalização, além de garantir a sensação de bem-estar e de maciez.
    Utilização: Antiaging, hidratantes, cremes e loções corporais e faciais, produtos pós-sol e produtos pós-depilação.

    ARS Hair: Seu uso proporciona o aumento do brilho dos cabelos, garante a revitalização, hidratação, o aumento da maciez, redução de frizz, forma um filme protetor e contribui com a melhora do toque.
    Utilização: xampus, condicionadores, máscaras capilares, reparadores de pontas e redutores de frizz.

    Dermosoft 688: Potente antifúngico para formulações de cosméticos e hidratante para a pele.
    Utilização: Todo tipo de formulação cosmética.

    Centevita: Conta com propriedades capazes de promover o estímulo da síntese de colágeno, melhora a elasticidade, tem ação anti-inflamatória, protege dos danos causados pela radiação UV, além de ser antiedema e lipolítico.
    Utilização: Produtos faciais e corporais.

    Leia mais no Saúde da Mulher sobre os assuntos:
    Beleza
    - Cosméticos
    Leia Mais ►

    Chorar faz bem a saúde, por quê?

    Entenda por que chorar faz bem a saúde e o que está por trás de tantas lágrimas e o que elas provocam em nosso organismo.

    Se quando seus filhos choram você tem o hábito de dizer: "engole o choro, engole o choro!", desculpe a franqueza, mas você está agindo muito mal, mesmo quando for choro de birra.

    Isso por sempre que há choro, há uma "emoção" por trás dele e essa emoção precisa ser LIBERADA em forma de lágrimas. Oras, quem nunca ouviu as expressões "chorar lava a alma" ou "chorar faz bem".
    Chorar faz bem a saúde
    Chorar faz bem a saúde

    Mas por que chorar faz bem a saúde?


    Depois de uma boa sessão de lágrimas teremos menos ansiedade, irritação e tristeza. Chorar provoca uma reação bioquímica relaxante no organismo. E é por isso que diz-se que chorar lava a alma.


    Chorar faz bem bioquimicamente falando


    - Excesso de manganês?

    Chorar faz bem porque diminui o nível do mineral manganês do corpo, trazendo um alívio quase que imediato.

    - Leucina-encefalina: como atuam no choro

    Segundo a psicóloga Ana Maria Rossi, quando choramos nosso encéfalo produz uma substância chamada leucina-encefalina: ela gera uma sensação de alívio semelhante a da morfina.


    - Curiosidades sobre as lágrimas


    1. Sabia que o nosso corpo produz 500 ml de lágrima / ano
    2. Podemos chorar de tristeza ou de felicidade
    3. As mulheres choram em média 5 vezes mais que os homens. Mas isso ocorre por que os homens são incentivados a não chorar desde pequeno. Quem nunca ouviu a expressão homem não chora?

    - Homem não chora mesmo? Menino não chora?


    Que bom que muitos homens já sabem que chorar não é sinal de fraqueza e sim de que há uma emoção que pode e precisa ser liberada em forma de lágrimas.

    A cultura machista prega, desde sempre, que os meninos não devem chorar e assim, pais e mães vivem dizendo aos seus filhos quando estes choram: "menino não chora". E a cada vez que a criança escuta isso, ela aprisiona uma emoção... a qual, mais tarde, anos depois, pode ser liberada com agressividade, ou depressão ou deflagrando doenças. Sim, emoções bloqueadas podem ser somatizadas e se transformar em doenças físicas.

    - Chorar de alegria!


    Lembre-se que chorar não é necessariamente sinal de que há algo ruim, já que pode-se chorar de alegria. O choro é uma maneira de liberar uma emoção, sendo ela positiva ou negativa.

    Então... Quando o choro vier... Não o engula, CHORE!

    Fonte: as informações são da psicóloga Ana Maria Rossi e da farmacêutica&Bioquímica Dra. Renata Fraia
    Leia Mais ►

    Não encontrou o que buscava? Pesquise

    Pesquisa personalizada
    sem acentos