...

Recomendações da OMS para reduzir intervenções médicas desnecessárias durante a gravidez

OMS emite recomendações para estabelecer padrão de cuidado para mulheres grávidas e reduzir intervenções médicas desnecessárias

A Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu novas recomendações para estabelecer padrões globais de cuidado para mulheres grávidas saudáveis e reduzir intervenções médicas desnecessárias. Em todo o mundo, cerca de 140 milhões de nascimentos acontecem todos os anos.

A maioria ocorre sem complicações para as mulheres e seus bebês. No entanto, ao longo dos últimos 20 anos, os profissionais aumentaram o uso de intervenções que antes eram utilizadas apenas para evitar riscos ou tratar complicações, como a infusão de oxitocina para acelerar o parto normal ou o parto cesariana.

OMS cria recomendações para reduzir intervenções médicas desnecessárias durante a gravidez
Foto: OPAS (originalmente: Tyler Olson/Shutterstock.com)

"Queremos que as mulheres deem à luz em um ambiente seguro, com profissionais capacitados e em instalações bem equipadas. No entanto, a crescente medicalização dos processos normais de parto está prejudicando o protagonismo da mulher para dar à luz e impactando negativamente na experiência do nascimento", diz Princess Nothemba Simelela, diretora-geral adjunta da área de Família, Mulheres, Crianças e Adolescentes da OMS.

"Se o trabalho está progredindo normalmente e a mulher e seu bebê estão em boas condições, eles não precisam receber intervenções adicionais para acelerar o parto", acrescenta.

O parto é um processo fisiológico e natural que pode ser vivenciado sem complicações pela maioria das mulheres e bebês. Contudo, estudos mostram que uma proporção substancial de mulheres grávidas saudáveis sofre pelo menos uma intervenção clínica durante o parto e o nascimento. Elas também são frequentemente submetidas a intervenções de rotina desnecessárias e potencialmente prejudiciais.

56 recomendações de cuidados para mulheres grávidas, reduzindo intervenções médicas desnecessárias


A nova diretriz da OMS inclui 56 recomendações baseadas em evidências sobre quais cuidados são necessários durante o trabalho de parto e pós parto imediato para a mulher e seu bebê. Entre elas, estão:

  • a escolha de um acompanhante durante o trabalho de parto e o nascimento; 
  • garantia de cuidados respeitosos e boa comunicação entre mulheres e a equipe de saúde; 
  • manutenção da privacidade e confidencialidade; 
  • e liberdade para que as mulheres tomem decisões sobre o manejo da dor, posições para o trabalho de parto e para o nascimento, bem como o desejo natural de expulsar (a escolha da posição no período expulsivo) do feto, entre outros.


Todo trabalho de parto é único e progride a diferentes ritmos


A nova diretriz da OMS reconhece que cada trabalho de parto e nascimento são únicos e que a duração de sua primeira etapa ativa varia de uma mulher para outra. Geralmente, um primeiro trabalho de parto não se estende além de 12 horas. Trabalhos subsequentes geralmente não se estendem além de 10 horas.

Para reduzir as intervenções médicas desnecessárias, a diretriz da OMS afirma que o índice de referência anterior para o ritmo de dilatação cervical em 1 cm/h durante o primeiro estágio de trabalho ativo (conforme avaliado por um partograma ou gráfico usado para documentar o curso de um trabalho de parto normal) pode não ser realista para algumas mulheres e é impreciso na identificação de mulheres em risco de resultados adversos de parto. A diretriz enfatiza que um ritmo de dilatação cervical mais lento, por si só, não deve ser uma indicação rotineira para uma intervenção com o objetivo de acelerar o parto ou o nascimento.

"Muitas mulheres querem um nascimento natural e preferem confiar em seus corpos para dar à luz, sem o auxílio de intervenção médica", alega Ian Askew, diretor do Departamento de Saúde Reprodutiva e Pesquisa da OMS. "Mesmo quando uma intervenção médica é desejada ou necessária, a inclusão das mulheres na tomada de decisões sobre os cuidados que recebem é importante para garantir que atinjam o objetivo de uma experiência positiva de parto".

Cuidados de alta qualidade para todas as mulheres


As intervenções desnecessárias no trabalho de parto são generalizadas em ambientes de baixa, média e alta renda, muitas vezes pressionando recursos já escassos em alguns países e ampliando a lacuna de equidade.

À medida que mais mulheres dão à luz em unidades de saúde com profissionais e referências oportunas, merecem uma melhor qualidade de atendimento. Em todo o mundo, aproximadamente 830 mulheres morrem todos os dias pela gravidez ou por complicações relacionadas à gestação e ao parto. A maioria dessas mortes pode ser prevenida com cuidados de alta qualidade durante a gravidez e o parto.

O cuidado desrespeitoso e não digno prevalece em muitas unidades de saúde, violando os direitos humanos e afastando as mulheres da busca por serviços de cuidados durante o parto. Em muitas partes do mundo, equipes de saúde controlam o processo de parto, o que expõe ainda mais as mulheres grávidas saudáveis a intervenções desnecessárias que interferem no processo natural de parto.

Conseguir os melhores resultados físicos, emocionais e psicológicos possíveis para a mulher e seu bebê requer um modelo de cuidados em que os sistemas de saúde empoderem todas as mulheres para a escolha e o acesso a cuidados centrados na criança e na satisfação das escolhas da mãe.

Os profissionais de saúde devem informar às gestantes saudáveis que a duração do trabalho de parto varia muito de uma mulher para outra. Enquanto a maioria das mulheres deseja um trabalho de parto e um nascimento natural, também reconhecem que o nascimento pode ser um evento imprevisível e arriscado e que um monitoramento próximo e às vezes intervenções médicas podem ser necessárias.

Mesmo quando as intervenções são necessárias ou desejadas, as mulheres geralmente desejam manter uma sensação de realização e controle pessoal, envolvendo-se na tomada de decisões estreitando o vinculo com o bebê após o parto.

Redação: Renata Fraia - farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos blogs Saúde da Mulher e Saúde com Ciência
Leia Mais ►

Toxina botulínica e preenchimento podem ser aplicados juntos?

O dermatologista Daniel Coimbra tira as dúvidas sobre os dois principais tratamentos estéticos faciais da atualidade

Escolher qual procedimento estético vai fazer é um momento muito importante que paciente e médico compartilham. Dentre todas as técnicas que já existem, a toxina botulínica A (o popular Botox) e o preenchimento de ácido hialurônico ainda são os “queridinhos” das mulheres e, por isso, as dúvidas são muito frequentes. Entre as mais recorrentes está se toxina botulínica e preenchimento podem ser aplicados juntos.



A toxina botulínica A é direcionada para as rugas dinâmicas, ou seja, ocasionadas pela atividade muscular, como: linhas de expressão na testa, ao redor dos olhos e entre as sobrancelhas. Enquanto que o preenchimento facial de ácido hialurônico, trata as rugas estáticas, que são provocadas pelo envelhecimento natural da pele, o que também envolve a perda de estrutura óssea e gordura.

Afinal, Botox e preenchimento podem ser usados juntos?


O especialista acredita que as duas técnicas podem e devem ser usadas juntas a favor do paciente, mas tudo com a orientação do médico de confiança de cada um. Por serem tratamentos com funções específicas e muitas vezes complementares, pode ser que haja a indicação da aplicação em conjunto.


“Como em todo tratamento estético, o bom-senso do profissional quanto à quantidade de produto e sua procedência, aliado aos objetivos do paciente, é o que irá trazer sucesso, independentemente das técnicas e se serão usadas em conjunto ou não”.

Exemplo prático


Por exemplo, uma paciente que está infeliz com o “bigode chinês” e com o “pé de galinha”, pode utilizar os dois tratamentos e resolver isso em uma consulta única. Afinal, entre os benefícios dos procedimentos minimamente invasivos estão a ausência de internação e cirurgia. “A tendência das próximas gerações é cortar menos o rosto e se submeter menos a procedimentos dermatológicos mais agressivos, optando pelos menos invasivos”, completa o médico.



Contraindicações para os procedimentos


Tanto a toxina botulínica A, produto biológico, quanto o ácido hialurônico, substância já presente no corpo humano, são contraindicados para gestantes, lactantes, pessoas que forem alérgicas a qualquer dos componentes dos produtos ou que possuem uma infecção no local da aplicação.

Gostou do artigo? Complemente seu conhecimento com: Crioterapia Facial Estética: o que é Neve Carbônica?

Redação: Renata Fraia - farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos blogs Saúde da Mulher e Saúde com Ciência
Leia Mais ►

Banana amassada anti TPM

Se você sofre com TPM ou menopausa vai gostar de saber que essa receita é perfeita para aliviar os sintomas da TPM e também da menopausa. Eu a criei com autoridade de farmacêutica e necessidade por sempre sofrer com a TPM. Ah! Essa receita é boa até para quem sofre de depressão pré menstrual!

Banana amassada anti TPM


Banana amassada anti TPM
Banana amassada anti TPM

Ingredientes
  • 1 banana amassada
  • 2 colheres de chá de chocolate em pó a (pelo menos) 50%
  • 1/2 colher de café de levedo de cerveja em pó

Como preparar

  • Corte a banana em rodelas,
  • coloque em um potinho de sobremesa,
  • acrescente o chocolate em pó,
  • leve ao micro-ondas por 40 segundos (esse tempo pode variar de acordo com seu micro ou com a demanda de energia da sua casa/bairro),
  • Tire do micro, acrescente o levedo e mexa bem e coma*!

*Coma antes que vc faça alguma besteira por causa da TPM kkkk!

Dica: Se usar banana prata ou se gostar mais docinho, coloque 3 gotas de adoçante ou uma colher de chá de mel.





Por que essa receita funciona contra TPM?

Banana

A banana tem muitos nutrientes e o melhor deles para a TPM é a vitamina B6 (que desincha o corpo e alivia a ansiedade e irritabilidade), mas ela contém todas as vitaminas do complexo B, que ajuda em vários sintomas. A B3, por exemplo, alivia o nervosismo e a B5 ajuda a deixar o cabelo saudável nesse período.

Chocolate 50%

O chocolate a (no mínimo) 50% ajuda em muitos aspectos da tpm e menopausa, porque ele é riquíssimo em antioxidantes que melhoram tudo na gente, inclusive os incômodos mensais que começam antes da menstruação chegar.

Levedo de cerveja

Tem os mesmos benefícios da banana (ou seja, ambos unidos irão se complementar nas quantidades vitamínicas e minerais) e, além disso, ajuda a controlar o desejo por açúcares e carboidratos em geral. Ou seja, vc não correrá o risco de ficar com aquela vontade incontrolável de comer doce! 😊

Aposto que agora vc quer saber quais outros alimentos podem aliviar a TPM, portanto, sugiro a leitura de: Alimentos para TPM.

Redação: Renata Fraia - farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos blogs Saúde da Mulher e Saúde com Ciência



Leia Mais ►

Crioterapia Facial Estética: o que é Neve Carbônica?

A crioterapia facial estética é um tratamento para Acne (cravos e espinhas), Manchas, Oleosidade da Pele e Queda de Cabelo que se utiliza das baixas temperaturas para tratamentos estéticos e também terapêuticos na pele através da Neve Carbônica.

Como é feita a Crioterapia Facial Estética com Neve Carbônica?


A palavra é formada pelos termos crio + terapia, sendo que crio é derivado da palavra grega kryos, que significa frio e terapia é a forma terapêutica que é usada o frio - chegando a temperaturas de 196 graus Celsius negativos.

Crioterapia Facial Estética: o que é Neve Carbônica?

A crioterapia facial (ou criopeeling) pode ser feita com jatos em spray ou com sondas previamente resfriadas.Para atingir tais temperaturas tão baixas pode ser usado gelo seco ou dióxido de carbono liquido em contato com a pele.

Para que serve a Crioterapia Facial Estética com Neve Carbônica?


É uma técnica para tratar definitivamente a Acne, Manchas, Oleosidade de Pele e Queda Capilar.

A crioterapia melhora o tônus muscular, reduz inchaços contribui para atenuar manchas, marcas de acne e a acne em si.

Quem pode aplicar a técnica de crioterapia e criopeeling? 


Esteticistas, dermatologistas, enfermeiros estetas, fisioterapeutas e até fonoaudiólogos podem usar a crioterapia facial. Sendo que os dois últimos a utilizam apenas na fonoaudiologia estética facial para reduzir inchaços na pele.

Existe um curso de criopeeling / crioterapia facial / Neve Carbônica?


SIM. O "Curso de Criopeeling ou Neve Carbônica" foi criado pela cosmetóloga Marcia Arieta e objetiva atualizar profissionais que trabalham na estética e desejam melhorar os resultados dos pacientes com todos os problemas citados (Acne (cravos e espinhas), Manchas, Oleosidade da Pele e Queda de Cabelo), obtendo resultados 5 vezes mais potentes em menos sessões!

A quem se destina o curso?


A todos os profissionais que trabalham na área da estética, como: dermatologistas, esteticistas, enfermeiros estetas, biomédicos estetas e farmacêuticos estetas.

O curso de neve carbônica ou criopeeling tem certificado?


SIM. No final do curso, você receberá um certificado de conclusão com seu nome impresso nele, esse certificado poderá ser usado como banco de horas na faculdade.

Como é o "Curso de Criopeeling ou Neve Carbônica"?


O curso é dividido em dois módulos. Conheça-os:

Curso Criopeeling ou Neve Carbônica - MÓDULO 1 - TEORIA


Crioterapia Facial Estética: o que é Neve Carbônica?
No primeiro módulo do curso é aprendido os conceitos por trás dessa técnica, quais os materiais e produtos que serão utilizados na técnica.

Também serão mostradas todas as indicações e contra-indicações, além das vantagens e a desvantagem do Criopeeling, além de mostrar qual a frequência indicada de aplicação dessa técnica.

Curso Criopeeling ou Neve Carbônica - MÓDULO 2 - PRÁTICA


Crioterapia Facial Estética: o que é Neve Carbônica?

Este é o módulo mais importante do curso, pois é nele que mostra na prática a aplicação do Criopeeling passo-a-passo, de forma bem detalhada e fácil de se entender.

Primeiramente é mostrado como preparar os produtos para formar a neve carbônica e logo em seguida como fazer a aplicação em uma modelo facial e também no couro cabeludo.

>> Já entendi! Quero fazer o CURSO!

Além dos módulos são oferecidos os seguintes extras


#1 - [AULA] 5 Erros Que Você ou Seu Cliente Cometem que Impedem de Eliminar a Acne

#2 - [AULA] Como Fazer Uma Anamnese Perfeita + Fichas de Anamnese e Contrato

#3 - Protocolo Completo e Exclusivo Para Acne

#4 - Palestra Sobre Disbiose Intestinal da Professora Cássia Corrêa

#5 - [AULA] 5 Etapas Para o Tratamento de Acne

#6 - Grupo Exclusivo de Alunas no Whatsapp

#7 - Certificado de Conclusão

E se eu quiser desistir do curso?


Prevendo essa possibilidade, você tem sete dias (7 dias) para testar o curso. Se não gostar, seu dinheiro é devolvido!

Qual é o preço do curso de Criopeeling - Neve carbônica?


R$ 297,00 ou em 12 x de R$ 28,94 e aceita vários métodos de pagamento.

Como me matricular no curso criopeeling ou neve carbônica?


Acesse a página do curso criopeeling ou neve carbônica AQUI . Boas aulas e boa sorte com suas pacientes! Depois volta aqui pra contar o que achou do curso.

Curso Crioterapia Facial Estética: o que é Neve Carbônica?

#beleza   #acne  #cosmiatria

Redação: Renata Fraia - farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos blogs Saúde da Mulher e Saúde com Ciência
Leia Mais ►

Qual a relação entre gravidez x Alzheimer?

Filhos de mulheres que comeram gordura na gravidez têm mais chances de ter Alzheimer.

É isso mesmo, um estudo sugere que alimentação rica em gordura durante a gravidez pode tornar os filhos mais vulneráveis ao mal de Alzheimer.

Os hábitos alimentares da grávida podem influenciar o risco de o feto desenvolver Alzheimer mais tarde na vida, segundo uma nova pesquisa da Universidade de Southampton, no Reino Unido.

Os especialistas descobriram que descendentes de ratos alimentados com uma dieta rica em gordura tinham maior probabilidade em adultos de problemas de fluxo sanguíneo no cérebro, uma característica associada ao Alzheimer.

Qual a relação entre gravidez x Alzheimer?
Qual a relação entre gravidez x Alzheimer?

Como foi o estudo que diz que risco de Alzheimer pode começar na gravidez


Quando os filhotes foram alimentados com uma dieta rica em gordura os seus cérebros tornaram-se menos capazes de eliminar a proteína prejudicial amiloide, que se acumula no cérebro dos doentes de Alzheimer.

► Leia também: Infertilidade feminina pode se originar na adolescência.

Cheryl Hawkes, líder do estudo, ressalva que mais trabalhos serão necessários para compreender esta associação, mas recorda que a pesquisa pode ter implicações importantes para os seres humanos, pois estes "resultados preliminares sugerem que as dietas das mães durante a gravidez podem ter efeitos a longo prazo sobre os cérebros e a saúde vascular dos seus filhos".

Num próximo passo, os especialistas vão procurar confirmar se os resultados podem estar relacionados com a doença de Alzheimer em humanos, o que poderia fornecer novas pistas sobre a prevenção da doença.

► Leia também: Obesidade na gravidez afeta imunidade do bebê, diz estudo.

Fonte: Telegraph

Leia Mais ►

Exame de sangue para HPV. Perguntas e respostas


Exame de sangue para HPV
Exame de sangue para HPV

Existe um exame de sangue para HPV?


Sim. O exame de sangue é chamado "sorologia para HPV". Ele detecta a infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV).

Como a sorologia para HPV é feita?


Em geral, é coletada uma amostra de sangue da veia do braço da pessoa, mas podem ser usadas quaisquer veias do paciente.



Para que serve o exame para HPV?


O exame de sorologia HPV é capaz de detectar o vírus HPV, auxiliar na escolha de tratamento e de prognóstico de pacientes infectadas e para o acompanhar as infecções persistentes causadas pelo vírus, que é transmitido por via sexual.

O HPV é o mais importante fator de risco para o desenvolvimento do câncer de colo do útero.

Existe um preparo para realizar o exame?


A paciente deve fazer abstinência sexual de três dias, evitar o uso de cremes ou óvulos vaginais na semana que antecede a coleta, que não deve ser feita no período menstrual.

Quais os resultados possíveis para o exame de HPV?


Positivo: Significa que a pessoa possui o vírus no sangue. Mas não e necessário ficar preocupada, pois basta fazer o controle anual com o exame Papanicolau, também conhecido como "preventivo".

Negativo: Significa que a pessoa não possui o vírus do HPV no sangue. Esse paciente deve ser orientado quanto aos benefícios de tomar a vacina para se imunizar, ou seja, para não pegar o vírus, pois é muito fácil se infectar.

Espero que tenha gostado do artigo com perguntas e respostas sobre o exame de sangue para HPV. Complemente sua leitura com o artigo: Vacina contra HPV para meninas de 9 e 13 anos será grátis.

Redação: Dra. Renata Fraia - farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos blogs Saúde da Mulher e Saúde com Ciência. 

Leia Mais ►

Anticoncepcional oral aumenta risco de câncer de mama

Sociedade Brasileira de Mastologia orienta as mulheres a discutir com seu médico sobre interromper o uso de anticoncepcional aumentar o risco de câncer de mama

Estudo publicado no New England Jornal of Medicine, uma das mais prestigiadas publicações científicas do mundo, revela que o risco de câncer de mama é maior para as usuárias de anticoncepcionais em relação àquelas que nunca recorreram ao medicamento. O estudo também afirma que o risco é elevado na medida em que aumenta o tempo de uso tanto para as mulheres que usam atualmente quanto para as que utilizaram no passado.

Anticoncepcional aumenta risco de câncer de mama

Para a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), não há necessidade das mulheres interromperem o uso do anticoncepcional que já utilizam. “O ideal é que cada usuária do método avalie ou discuta com seu médico sobre os riscos e os benefícios desta decisão”, afirma Antonio Luiz Frasson, presidente da SBM. Baseado neste estudo e em estudos prévios sobre a relação ao uso de anticoncepcionais orais e câncer de mama, a entidade esclarece ainda que o aumento de risco é relativo e depende muitas vezes da idade e do tempo de uso.

A pesquisa foi realizada com 1,8 milhão de mulheres da Dinamarca, na faixa etária entre 15 e 49 anos, que não tinham tido câncer, assim como não tinham tido tromboembolismo ou feito tratamento para infertilidade. A partir do registro nacional, os pesquisadores obtiveram informações individualizadas a respeito do uso de anticoncepcionais orais, diagnóstico de câncer de mama e fatores que pudessem confundir as informações. As pacientes foram seguidas por um tempo médio de 10 anos e foram identificados 11.517 casos de câncer de mama. Houve um caso a mais de câncer do que o esperado para cada 7.690 usuárias de anticoncepcionais hormonais.

Resultados

Quando os dados foram comparados com os de mulheres que nunca usaram anticoncepcionais, o risco relativo de ter câncer de mama foi 20% superior em relação às não usuárias. O risco foi 9% superior a partir de um ano de uso de até 38% superior a partir de 10 anos de uso. Isto quer dizer que, por exemplo, se a chance de ter câncer de mama até os 50 anos é de 2%, para quem usou o medicamento por um ano o risco foi de 2,2%, e para quem usou por mais de 10 anos o risco foi de 2,76%.

Não houve algum tipo de anticoncepcional que não tenha tido relação com aumento de risco, inclusive os DIUs com progesterona. É importante alertar que o estudo não avaliou o impacto na mortalidade geral por câncer. Segundo Frasson, já se sabe que os anticoncepcionais reduzem o risco de câncer de ovário, de endométrio e câncer colorretal.

Para ele, é importante mostrar que mulheres que usam esses métodos são mais bem acompanhadas em relação as que não usam. “Talvez, quando a avaliação de mortalidade por câncer for analisada, o risco de morrer por câncer em geral possa ser inclusive menor”, conclui o mastologista.

E então, gostou do artigo sobre o anticoncepcional aumentar o risco de câncer de mama? Aproveite para ler também: Câncer de Mama em Cães e Gatos: Dicas de prevenção!

Redação: Renata Fraia - farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos blogs Saúde da Mulher e Saúde com Ciência
Leia Mais ►

O que é mini-abdominoplastia?

Cirurgia possui recuperação mais rápida do que a técnica convencional e é menos invasiva.

Para ficarmos mais belas/os existem diversas opções, especialmente quando se fala em cirurgias plásticas. São vários procedimentos e alguns ainda possuem as chamadas versões ‘mini’, que são menos invasivas e também podem dar bons resultados dependendo dos resultados que se deseja alcançar.

“A mini-abdominoplastia, por exemplo, é uma cirurgia com o mesmo objetivo da abdominoplastia normal, melhorar o abdômen inferior, mas em uma área menor”, observa Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico mestre em princípios da cirurgia utilizando o laser.

O que é mini-abdominoplastia?

O que é mini-abdominoplastia?


A mini-abdominoplastia é indicada para homens e mulheres que tenham estrias, pequenas deformidades na parede abdominal ou quando o abdômen está desproporcional a estrutura do corpo.

Na técnica convencional é feita uma incisão até o quadril, possibilitando a retirada de uma grande quantidade de pele e gordura.

Na mini-abdominoplastia o corte é pequeno e não é feita a retirada de pele, somente a gordura é removida.



“A incisão é realizada na região púbica e, diferente da abdominoplastia completa, não há necessidade de reposicionar o umbigo. São feitas pequenas suturas para fechar os cortes e podem ser colocados pequenos drenos no paciente. A cirurgia tem a duração de aproximadamente três horas”, esclarece.

Quem pode fazer abdominoplastia?


 “Este procedimento deve ser realizado somente em pessoas com pouco volume abdominal e que desejam eliminar apenas a gordura da barriga. Caso contrário a técnica não atenderá as expectativas e os resultados serão insatisfatórios, por isso a avaliação do cirurgião é imprescindível para a recomendação da cirurgia ideal”, ressalta o médico, que é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Para que o abdômen fique firme os músculos abdominais são suturados e aproximados, fazendo com que a parede abdominal fique mais plana e a cintura mais esbelta. O risco de infecção e de formação de coágulos de sangue é considerado muito raro. “Normalmente é utilizada a anestesia denominada peridural, procedimento que bloqueia o estímulo doloroso que transita pela medula espinhal, deixando a parte do corpo localizada abaixo deste ponto de bloqueio anestesiada. Somente em alguns casos é necessária a anestesia geral”, destaca.

A vantagem é que na mini-abdominoplastia a cicatriz é menor, não há necessidade de internação e os efeitos colaterais mais comuns são inchaço, dormência e desconforto temporários. Por ter uma abrangência menor, na mini-abdominoplastia o tempo de recuperação também é menor.

“Após a cirurgia o paciente deve utilizar uma cinta elástica por pelo menos um mês e as suturas são removidas em duas semanas. A cinta auxilia a minimizar o edema, evita a formação de líquidos e também oferece suporte durante a cicatrização”, afirma o médico.



O paciente pode voltar ao trabalho duas ou três semanas depois do procedimento, a exposição ao sol e a prática de exercícios físicos são liberados após seis semanas dependendo do caso. A dor é minimizada com o uso de analgésicos e as cicatrizes ficam menos perceptíveis a partir do terceiro mês.

“Quem ainda planeja ficar grávida ou perder peso deve conversar com o cirurgião, já que estes fatores podem influenciar os resultados da mini-abdominoplastia. O aumento de peso após a cirurgia também pode prejudicar a eficácia e a duração do tratamento”, acrescenta.

Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)
Cirurgião Plástico
Site: http://www.alplastica.com/

Leia mais sobre Cirurgia Plástica no Saúde da Mulher
Leia Mais ►

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada