Mulheres obesas sofrem mais na menopausa, diz estudo

Mulheres obesas sofrem mais na menopausa, aponta pesquisa da Unicamp

Do G1

Pesquisa feita com mulheres da Região Metropolitana de Campinas (RMC), que indica incidência de calores mais severos [na menopausa], foi publicada nos Estados Unidos.

Continue lendo...

Redação: Renata Fraia - farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos blogs Saúde da Mulher e Saúde com Ciência
Leia Mais ►

Mamas de Alpiste: veja como fazer passo a passo (e dicas!)

As mamas de alpiste devolvem autoestima para mulheres mastectomizadas, aprenda a fazer a sua passo a passo e dicas para conservá-la e de como usar.

#OutubroRosa

A advogada Fernanda Chain, de 48 anos, foi diagnosticada com câncer de mama em 2016 e fez mastectomia (retirada total das mamas).

Em vez de recorrer às próteses de silicone, Fernanda teve a ideia de fazer as próprias mamas. Foi assim que nasceram as mamas de alpiste. Atualmente, além de produzir as mamas, a advogada as envia para outras mulheres.

O melhor de tudo é que é bem fácil e qualquer pessoa pode fazer em casa e o custo é bem acessível. Vamos aprender a fazer a mama de alpiste?

Mamas de alpiste: como fazer passo a passo

Mamas de Alpiste como fazer passo a passo
Mamas de Alpiste como fazer passo a passo / Foto: reprodução Google Images

Você vai precisar de:

1. um par de meia de náilon 3/4 nova fio 20 (tem que ser nova),
2. um medidor de 1 litro (aqueles de cozinha mesmo),
3. tesoura,
4. Um sutiã que tenha abertura lateral (próprio para enchimentos),
5. alpiste na quantidade do tamanho que você deseja que fique suas mamas (lembrando que se fizer muito grande o resultado poderá ficar artificial, não condizente com seu peso e altura). Para saber quanto usar, veja abaixo:



Quantidade de alpiste para o tamanho de mama desejado:


Tamanho 40 – 150 ml de alpiste
Tamanho 42 – 180 ml de alpiste
Tamanho 44 – 220 ml de alpiste
Tamanho 46 – 300 ml de alpiste
Tamanho 48 – 380 ml de alpiste
Tamanho 50 – 450 ml de alpiste
Tamanho 52 – 500 ml de alpiste
Tamanho 54 – 600 ml de alpiste

Passos

1. Com a ajuda do medidor, coloque o alpiste dentro da meia, tomando o cuidado para que ela fique toda no fundo da meia para não machucar o corpo.

2. Dê o primeiro nó.

3. Aperte bem esse nó.

4. Dê uma volta na prótese formada com a parte da meia que sobrou (o comprimento).

5. Dê o segundo nó, que será o bico da sua mama.

6. Coloque a prótese de alpiste dentro do sutiã com abertura.



Quanto tempo dura a mama de alpiste?


A durabilidade é de um ano. Não tente lavá-la, pois os alpistes são sementes e com água eles tendem a brotar. Como a mama de alpiste ficará dentro do sutiã, ela nunca sujará tanto quanto a peça íntima. Para conservá-la limpa por mais tempo, lave o sutiã com frequência.

Quanto tempo após a mastectomia posso usar as próteses de alpiste?


Só use após a completa cicatrização da cirurgia.


Mamas de alpiste - Dicas importantes:


1. Se sentir coceira interrompa o uso, pode ser que você seja alérgica a nylon.

2. Mantenha em local seco e arejado quando não estiver usando a prótese.

3. Não pode ser molhada de forma alguma. Se molhar superficialmente por acidente deixe secar em local com bastante vento, mas se for molhada por completo (se você esquecer de tirá-la do sutiã e perceber que a colocou na máquina de lavar sem querer), o ideal é descartar a prótese e fazer outra.

4. Para maior conforto, use com sutiã de aro e sem costura.

5. Para usar com biquíni, envolva-a em um preservativo. No biquíni/maiô, corte a parte do fosso, coloque a mama de alpiste e costure novamente.

Redação: Renata Fraia - farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos blogs Saúde da Mulher e Saúde com Ciência
Leia Mais ►

Começou! Outubro Rosa: mês da luta contra o câncer de mama

No mundo todo, o câncer de mama é o tumor mais comum entre as mulheres e é o responsável por quase 30% dos casos novos da doença. A estimativa do Instituto Nacional de Câncer para 2016 era de quase 60 mil ocorrências com, aproximadamente, 15 mil mortes naquele ano.
Outubro Rosa contra o câncer de mama
Para conscientizar as mulheres da importância dos exames de rastreamento para o diagnóstico precoce dos tumores de mama, o que permite um tratamento mais seguro com mais possibilidades de cura, foi o criado o Outubro Rosa. Nesse mês, várias ações são programadas para campanhas contra a doença.

É preciso lembrar que existem vários tipos diferentes de câncer, sendo que alguns têm um crescimento mais rápido e agressivo, mas a maioria tem uma evolução que possibilita um tratamento eficiente, desde que detectados em tempo hábil”;

Afirma José Antonio Marques, ginecologista, ex-vice-presidente e membro da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (SOGESP).

Outubro Rosa: Fatores de risco para o câncer de mama


Os fatores de risco são vários, mas as mulheres com idade entre 50 e 70 anos, quem começou a usar precocemente anticoncepcional oral, aquelas sem filhos ou que tiveram após os 30, as que menstruaram cedo, quem faz uso de terapia de reposição hormonal na menopausa, com parentes de primeiro grau com câncer de mama antes dos 45 e as obesas são as que têm mais probabilidades de desenvolver a doença.



Outubro Rosa: Importância de descobrir o câncer de mama precocemente


Para descobrir o câncer precocemente, Marques ressalta a importância da realização da mamografia e do exame clínico das mamas anualmente. O especialista destaca que em países e regiões onde o acesso aos exames realizados por profissionais é feito regularmente, o autoexame não tem demonstrado uma diminuição na mortalidade.

➤LEIA: Detecção precoce do câncer de mama é enfatizada no Outubro Rosa

“As mulheres devem ser aconselhadas a praticar o autoexame como forma de conhecimento do corpo. Mas, no Brasil, a grande maioria dos casos ainda é descoberta pela própria mulher”, informa o médico.

Outubro Rosa: As opções de tratamento dependem do tamanho e da agressividade do tumor


“O tratamento cirúrgico é a etapa inicial. A retirada da totalidade da mama
(mastectomia) é, hoje, uma opção para tumores maiores que 2,5 cm, e a retirada de
parte da mama (quadrantectomia) seguida por radioterapia é a escolha para tumores pequenos, assim como a retirada de todos os linfonodos da axila, que está sendo substituída pela retirada de um deles chamado de sentinela, o primeiro a ser atingido quando o tumor se expande para além da mama. A quimioterapia é indicada para
casos de alto risco de metástases”, ressalta Marques.

NUNCA adie o início do tratamento contra um câncer!

Outubro Rosa: Complicações do tratamento


O tratamento para combater o câncer de mama também pode causar complicações no corpo da mulher, principalmente os mais mutiladores seguidos de radioterapia. A quimioterapia promove complicações temporárias e podem ser amenizadas.



“Um dos tipos de hormonioterapia pode levar à formação de tromboses e coágulo, e outro à osteoporose. A mastectomia, por também mexer com um órgão sexual feminino, pode acarretar disfunções no relacionamento do casal, portanto sempre é necessário um suporte psicológico, às vezes com terapeutas especializados em acompanhar pessoas com câncer e com sequelas do tratamento”, avalia o ginecologista.

Atenção! Minha opinião (Renata Fraia) é que, MESMO COM ESSAS COMPLICAÇÕES citadas pelo ginecologista, o tratamento mais recomendado deve ser o eleito, afinal, perder a vida é muito pior! Concordam? Complicações se resolvem, mas não dá pra voltar da morte.

Complemente sua leitura com os artigos: 
1. Mamografia: dicas para sentir menos dor na mamografia
2. Câncer de mama 'espalha' mais em tecidos obesos

Redação: Renata Fraia - farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos blogs Saúde da Mulher e Saúde com Ciência
Leia Mais ►

Suco PRÁTICO para TPM e Menopausa

Desenvolvi (Renata Fraia) essa fórmula farmacêutica caseira esse suco prático para TPM e Menopausa pensando especialmente nas mulheres que sofrem com os sintomas.

Ele é fácil de preparar -- por isso prático (bom para quem leva uma vida agitada), gostoso e super saudável. Combate sintomas como inchaço, nervosismo e calores da menopausa.




Os ingredientes do suco são em forma de pó e são encontrados facilmente em grandes lojas de produtos naturais. Anote a receita!

Suco prático para TPM e Menopausa

(por Dra. Renata Fraia)


Ingredientes

Como fazer o suco prático para TPM e Menopausa


Misture bem todos os ingredientes e beba a seguir. Tome 2 vezes ao dia.

Para melhores resultados confira também o artigo: Alimentos para TPM: o que comer nessa fase?

Redação: Renata Fraia - farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos sites Saúde da Mulher e Saúde com Ciência, cursando especialização em farmácia clínica voltada à prescrição e especialista em nutrição clínica



Leia Mais ►

Câncer no ovário tratamento: Lynparza - olaparibe, novo medicamento contra câncer de ovário!


Tratamento de câncer de ovário ganha novo medicamento, Lynparza® (olaparibe).

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o registro do medicamento novo Lynparza® (olaparibe), na forma farmacêutica cápsula dura.

Câncer no ovário tratamento: Lynparza olaparibe
Lynparza® (olaparibe) - Foto: Anvisa

O medicamento Lynparzaé indicado para o tratamento de manutenção de pacientes adultas com câncer de ovário do tipo 'carcinoma de ovário seroso de alto grau' (um tipo de câncer de ovário avançado), incluindo carcinoma da trompa de Falópio (parte do sistema reprodutor feminino que conecta os ovários ao útero) e carcinoma do peritônio (a membrana de revestimento do abdômen). Resumindo...

O medicamento Lynparsa - indicação


Este medicamento (olaparibe) é indicado para
  • Carcinoma de ovário seroso de alto grau,
  • Carcinoma da trompa de Falópio
  • Carcinoma do peritônio 

Ação do Lynparsa (olaparibe)


O medicamento Lynparza (olaparibe) é usado em pacientes que têm mutação (um defeito) em um dos dois genes conhecidos como BRCA1 e BRCA2 e que têm doença recorrente (quando o câncer voltou após tratamentos anteriores).

Lynparza® (olaparibe) deve ser utilizado após o tratamento com medicamentos à base de platina, quando o tumor teve uma diminuição do tamanho ou desapareceu completamente com este tratamento e a paciente manteve uma resposta durável (duração de pelo menos 6 meses).

O carcinoma de ovário é uma doença agressiva, de risco à vida. Como o número de pacientes com carcinoma de ovário é pequeno, esta doença é considerada rara, e Lynparza®(olaparibe) teve sua análise priorizada pela Anvisa.

A detentora do registro do medicamento no Brasil é a empresa AstraZeneca do Brasil Ltda, localizada em São Paulo (SP).

Se o artigo sobre câncer no ovário novo tratamento foi útil pra você, recomendo a leitura complementar do artigo: "Chá verde previne câncer de ovário".

Redação: Renata Fraia - farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos blogs Saúde da Mulher e Saúde com Ciência
Leia Mais ►

Passion Dust faz mal à saúde

Passion dust, a cápsula de glitter chamada "poeira da paixão" que pode prejudicar sua saúde.



A Pretty Woman Inc., uma empresa britânica, criou a Passion Dust, (em português “poeira da paixão”), uma cápsula para ser introduzida na vagina que explode durante a relação íntima, colorindo tudo e mais um pouco.

Passion Dust faz mal à saúde
Passion Dust faz mal à saúde

Embora inusitada e curiosa, a passion dust faz mal à saúde, segundo os ginecologistas. A médica Dra. Shazia Malik diz que o uso da cápsula de purpurina pode causar várias complicações, como infecções e alterar o pH vaginal.



O produto, que ainda libera um cheirinho gostoso, era vendido por cerca de R$ 40 (com 8 cápsulas), mas não está mais disponível devido a grande demanda.

Redação: Renata Fraia - farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos blogs Saúde da Mulher e Saúde com Ciência
Leia Mais ►

Desordem do espectro alcoólico fetal atingi um bebê em cada 13 mães alcoólatras

Uma em cada 13 gestantes que bebem álcool tem filho com o distúrbio...

Créditos desta matéria: O Globo 

Uma pesquisa canadense indica que uma em cada 13 grávidas que consumem álcool durante a gestação tem filhos com alguma desordem do espectro alcoólico fetal. Tal distúrbio envolve uma série de problemas para os bebês, incluindo:

  • microcefalia, 
  • déficit intelectual e de crescimento, 
  • baixo peso ao nascer e 
  • perda de visão ou audição.

Leia também: Prevenção de doenças genéticas nos filhos: a difícil escolha dos pais

Desordem do espectro alcoólico fetal

O estudo foi realizado pelo Instituto de Pesquisa em Políticas de Saúde Mental, na cidade de Toronto, no Canadá, e publicado na edição atual da prestigiada revista científica "JAMA Pediatrics".

Uma vez que os efeitos do consumo de álcool durante a gravidez têm, em geral, implicações para toda a vida da criança, o custo disso para a saúde pública é alto.

Leia também: Autismo pode ser causado por desequilíbrio hormonal na gravidez, diz pesquisa

O estudo, liderado pela cientista sênior do instituto canadense, Svetlana Popova, consiste em uma meta-análise de 24 pesquisas científicas envolvendo 1.416 crianças e jovens diagnosticados com a desordem.



Essa revisão concluiu que uma em cada 13 mulheres que consumiram bebida alcoólica durante a gestação teve filhos com a desordem do espectro alcoólico fetal.

Continue lendo a matéria no site do O Globo.

Renata Fraia - farmacêutica e jornalista, atuando desde 2008 na atenção e assistência farmacêutica nos blogs Saúde da Mulher e Saúde com Ciência
Leia Mais ►

Sabrina Gonzalez Pasterski - física, a nova Einstein

Einstein já tem um colega de genialidade comparável, mas não é um físico, mas uma física!

A estudante americana com ascendência cubana, Sabrina Gonzalez Pasterski, com apenas 24 anos, está sendo chamada de “nova Einstein” pelos seus professores. A doutoranda em física na Universidade Harvard se graduou onde sempre quis, na conceituada MIT (Massachusetts Institute of Technology) já tem um passado invejável.

Aos 14 anos construiu um avião, já foi citada em um artigo científico sobre buracos negros assinado pelo famoso físico Stephen Hawking e é considerada um dos mais promissores cérebros desse campo e já foi convidada para trabalhar na área aeroespacial da Amazon.

Sabrina Gonzalez Pasterski nova Einstein
Sabrina Gonzalez Pasterski / foto: divulgação
O mentor de Sabrina no instituto, o professor Earll Murman, compara sua capacidade acadêmica à habilidade musical de Mozart (1756-1791), que muito precocemente já era considerado um gênio em sua área. “Vai ser interessante observar se ela crescerá cientificamente aos níveis de um Mozart ou de um Beethoven.”

Atualmente, sua área de estudos mudou dos aviões para mistérios maiores do universo. Numa descrição feita por si mesma em seu site pessoal, ela diz que uma de suas maiores habilidades é “encontrar elegância dentro do caos”. Para variar, seu currículo impressionou mais uma vez: vários de seus trabalhos foram citados num paper científico de Stephen Hawking, um dos pesquisadores mais destacados do mundo.

Mesmo que desista de desvendar os segredos do cosmo (e não há nenhuma indicação de que o fará), Sabrina não vai ficar sem o que fazer. Ela já declarou não suportar deixar a mente ociosa. Desde que era adolescente, chamou a atenção do bilionário Jeff Bezos, dono da Amazon, que lhe ofereceu um emprego em sua empresa aeroespacial, a Blue Origin – oferta que ele recentemente reiterou estar de pé.

Fonte: Isto É

Leia Mais ►

Mais posts...

Não encontrou o que buscava? Pesquise

Pesquisa personalizada